Voltar

Curso de atualização em diabetes e hipertensão

Curso de atualização em diabetes e hipertensão

Curso de atualização em diabetes e hipertensão

A Unimed Metropolitana do Agreste tem realizado ações voltadas ao aperfeiçoamento e a reciclagem profissional, que fazem parte do calendário anual da cooperativa. Em mais um encontro com este objetivo, médicos cooperados e estudantes de medicina participaram de Curso de Atualização em Diabetes e Hipertensão. Os especialistas Evandro Araújo, cardiologista e Cyntia Fernandes Mendes, endocrinologista e metabologista, levaram conhecimentos aos participantes sobre causas, diagnósticos e tratamento das duas enfermidades, que estão entre as doenças que mais atingem a população.

O curso, realizado no sábado, 9 de junho, no auditório Ceci Cunha na sede da cooperativa, em Arapiraca, esteve dividido em dois módulos. O médico cardiologista Evandro Araújo abordou sobre hipertensão e a médica endocrinologista e metabologista Cyntia Fernandes sobre diabetes. Antes das palestras/aulas, o vice-presidente da Metropolitana do Agreste, médico ginecologista e obstetra Ulisses Pereira, deu boas vindas a todos e lembrou que atualmente os avanços e novas descobertas na área da medicina têm vindo de forma mais rápida e por isso a importância da participação em eventos de conhecimento científico como o curso de atualização promovido pela cooperativa.

O dirigente médico também destacou os grupos de Atenção à Saúde da cooperativa, o Doce Vida, que assiste mais de 320 beneficiários portadores de diabetes e o Equilíbrio, que acompanha 480 hipertensos. Entre os cuidados com esses usuários estão telemonitoramento e visitas, quando o beneficiário não consegue ir à sede devido a problemas com a saúde, além de testes como o o do pé diabético, orientações, acompanhamento por especialista, estímulos à prática de atividade física e alimentação saudável, entre outras medidas.

“Para ser um bom profissional médico é preciso, além de conhecimento, ter dedicação e caráter”, pontuou Ulisses Pereira.

Em sua explanação, o médico Evandro Araújo definiu vários tópicos sobre a hipertensão arterial sustentada, que se não cuidado pode provocar graves problemas como o infarto e Acidente Vascular Cerebral (AVC), o conhecido derrame. Ele lembrou que o consumo excessivo de sal por parte dos brasileiros tem contribuído ao crescimento da doença, que atualmente chega atingir 60% da população acima dos 60 anos de idade. “O normal é a ingestão de no máximo duas gramas de sal por dia, mas o brasileiro tem consumido entre 4 a 8 gramas”, informou o especialista com base em pesquisa.

Ele citou ainda o consumo de álcool, a falta de atividade física e o excesso de peso entre as principais causas que podem provocar a hipertensão. Como prevenção, a recomendação segue ao contrário das causas: prática atividade física regular e ter hábitos e alimentação saudáveis. “O diagnóstico é feito diretamente entre o médico e o paciente e depende da medição da pressão”, ressaltou.

Já a médica Cyntia Fernandes Mendes fez apresentação dos principais tratamentos da diabetes, após citar as causas da doença, que tem a obesidade como principal fator. A falta ou o excesso de insulina no organismo é que define qual o tipo da doença o paciente tem, se tipo A ou B e qual o tratamento a ser seguido.

“No mundo, em 2030, a previsão é de que tenhamos 366 milhões de diabéticos, doença que interfere diretamente na qualidade de vida da pessoa. A média de portadores de diabetes no Brasil é de 8.9% da população com a taxa mais alta no Rio de Janeiro, com 10%. Em Alagoas a incidência, tendo Maceió como referência, é de 8.1%”, alertou a especialista. As recomendações, como prevenção, seguem à prática de exercícios físicos e uma alimentação equilibrada.

Para participar do curso, os médicos e estudantes doaram produtos de higiene pessoal solicitados no ato da inscrição e que devem ser entregues a entidade que assiste idosos em Arapiraca.

 

               

 

         


Marcelo Amorim