Voltar

Renata Gouveia Almeida Costa

Renata Gouveia Almeida Costa

Mãe do Yuri

Renata Gouveia Almeida Costa

Mãe do Yuri

"Um sonho que demorou a ser realizado e Deus, que sabe de todas as coisas, tinha a hora certa para acontecer.

Há 5 anos, começamos a tentativa de engravidar. Vários exames, remédios, tratamentos e médicos, onde cada menstruação que descia era uma frustração. Foi quando meu esposo, Fernando, e eu decidimos fazer uma última tentativa a base de tratamento (medicação), antes de partir para a fertilização. Mesmo sem nem ter condições, iríamos terminar de pagar o carro e vendê-lo para conseguir o dinheiro e realizar o nosso sonho de ser pais. Mas, temos um Deus maravilhoso onde tudo e o impossível pode acontecer, é só ter fé e acreditar.

Toda família e amigos orando para que esse nosso sonho fosse abençoado. E em 2019, foi o ano que Deus escolheu para nos presentear com esse lindo “pacotinho de amor”, nosso milagre, nosso presente: Yuri que significa “luz de Deus”.

Quanta felicidade Senhor! Que bênção divina! Hoje (13/10/19), com a graça divina, podemos ter em nossos braços esse tão grande amor esperado, nosso Yuri, nosso milagre! Te amamos filho. Deus nos abençoou.

Queríamos que fosse parto normal, assim como foi tranquila toda gestação. Tudo estava indo bem para um parto normal e assim como o próprio nome diz queríamos que fosse o mais normal, o mais natural possível.

Assim que chegamos na Unimed, no sábado a tarde por volta das 13h, fomos logo atendidos. Estava com um pequeno sangramento, mas ao fazer o exame de toque só havia 1 cm de dilatação. E então, resolvemos voltar para casa e esperar que aumentasse as contrações, que até então não eram tão frequentes e nem tão fortes.

Por volta das 20h20 decidimos vir para o atendimento no Hospital Unimed, e agora sim as contrações eram bem fortes e com frequência. Para ser mais precisa de 5 em 5 minutos. E então o médico de plantão decidiu me internar , estava com 2 centímetros de dilatação e sentindo muito dor. Já estava em trabalho de parto, as dores começaram a ficar cada vez mais fortes de acordo com o tempo que ia passando. Parecia que não ia suportar, mas só pensamos no resultado final que ao vermos o nosso filho nascer, a dor seria um pequeno detalhe diante de um milagre tão esperado.

Mas, um pequeno detalhe aconteceu quando já estava com 8 cm de dilatação e tudo encaminhado para os 10 cm, momento esperado para o parto normal. E então, puff, a bolsa estourou e foi chamado o médico de plantão e ao analisar ele identificou um líquido verde, mostrando que o bebê havia defecado dentro do líquido amniótico. E isso foi o que interrompeu o desejo do parto normal, pois o bebê a partir daquele momento passou a correr risco de infecções. Foi então, que o médico decidiu imediatamente partir para a intervenção cirúrgica, a cesárea.

Como disse no começo, foi só um detalhe, perto do resultado que é vermos o nosso filho nascer com vida e com saúde. Só temos a agradecer a Deus. Ele sabe de todas as coisas, tudo tem sua hora e o tempo certo de acontecer."


Parto cesárea - 13/10/19