Voltar

Inovação e valorização da diversidade: Unimed Noroeste/RS realiza processo seletivo “Às Cegas”

Inovação e valorização da diversidade: Unimed Noroeste/RS realiza processo seletivo “Às Cegas”

Inovação e valorização da diversidade: Unimed Noroeste/RS realiza processo seletivo “Às Cegas”

17 Setembro 2021

Inserir e valorizar a diversidade com o intuito de promover um ambiente de trabalho mais plural é algo cada vez mais importante e necessário nas empresas. Pensando nisso, a Unimed Noroeste/RS passa a desenvolver processo seletivo “às cegas”. Esse método consiste em realizar um processo seletivo para contratação de funcionários em que apenas as competências técnicas e comportamentais dos candidatos são avaliadas.

Para a analista de Recrutamento e Seleção da cooperativa, Raquel Ludwig, conduzir um processo de seleção que proporcione tranquilidade para os candidatos é necessário, principalmente nessa sistemática diferenciada. “É importante que o recrutador assegure um ambiente mais leve, mesmo sendo virtual, para que as pessoas que estão participando do processo seletivo se sintam mais a vontade e menos tensas durante a entrevista. Preparar e conduzir um processo, no qual o objetivo é reduzir aspectos inconscientes, é bem desafiador e requer um esforço consciente”, reforça.

A primeira experiência foi realizada em julho. O processo piloto ocorreu de forma on-line e todos os candidatos foram orientados a desligar as câmeras e a utilizar nomes fictícios. Na análise de currículos, a gestora da área para a qual a vaga se destinava não teve acesso ao nome real dos candidatos, idade, raça, gênero e demais informações de cunho pessoal. Todos os currículos foram adaptados para a avaliação e escolha para a etapa da entrevista. O segundo processo seletivo “às cegas” ocorreu no mês de agosto.

Posteriormente, a área de Psicologia Organizacional realizou a avaliação do perfil psicolaboral dos candidatos, mantendo também as informações pessoais em sigilo até a finalização do processo, quando foi definido o candidato selecionado para contratação. Segundo a gerente de Gestão de Pessoas, Sandra Carneiro, esta nova proposta de processo seletivo foi bem aceita pelas lideranças da cooperativa. “Primamos e buscamos a valorização do ser humano. Implementar a seleção ‘às cegas’ elimina qualquer possibilidade de praticar preconceitos e questões subjetivas durante o processo de seleção e contribui com a diversidade da nossa organização, levando em conta apenas as competências das pessoas. Foi uma grata surpresa perceber a satisfação dos candidatos e dos líderes”, aponta a gestora.