Judocas patrocinadas pela Unimed Nova Iguaçu mudam rotina durante a pandemia

Treinos em casa ajudam irmãs a manterem a forma física

Judocas patrocinadas pela Unimed Nova Iguaçu mudam rotina durante a pandemia

Treinos em casa ajudam irmãs a manterem a forma física

3 Julho 2020
 

 

Com os treinos presenciais e competições paralisados desde março, em decorrência da pandemia do novo coronavírus, as gêmeas judocas Thayane Lemos e Thayná Lemos, 18 anos, vêm se esforçando para manter o ritmo e o condicionamento físico mesmo longe dos tatames. Disciplina tem sido a principal palavra de ordem na nova rotina.

Com a impossibilidade dos treinos presenciais, o Instituto Reação, responsável pela preparação das atletas, vem realizando os mesmos por meio de aulas gravadas e on-line. A tecnologia, sem dúvida, tem sido importante aliada nesse período. Além disso, o padrasto, Leonardo Lima, professor de judô, tem dado uma força especial às aulas das irmãs que acontecem em casa, três vezes por semana. Segundo Leonardo, um dojô (local de treinamento) improvisado ajuda a desenvolver o trabalho técnico das atletas, mas ele acrescenta que “os exercícios de manutenção física e força têm sido por conta delas.”

– Mudamos toda a nossa rotina de treinos por causa da Covid-19. A nossa grande vantagem é que estamos acostumadas a treinar juntas, ainda mais que o nosso esporte é praticado em dupla. Treinamos diariamente cerca de duas horas. Além disso, fazemos alongamento, troca de pegadas, entrada de golpes, mas sempre com cuidado para não nos machucarmos – comenta Thayane.

Outra adaptação ocorrida na vida das judocas foi com relação aos estudos. As duas ingressaram este ano na universidade, Thayane cursando Fisioterapia e, Thayná, Educação Física. Para elas conciliar o estudo on-line, com os treinos e a ansiedade de voltar a lutar não tem sido nada fácil. A alimentação também tem pesado na balança. A inevitável perda muscular reflete no rendimento. E, mesmo fazendo um bom controle alimentar e do peso corporal, admitem que só é possível manter o equilíbrio porque existe também o “dia do lixo”, ou seja, o dia onde é permitido o cachorro-quente, a pizza, a pipoca, dentre outras guloseimas.

Enquanto a rotina não volta, elas se mantêm firmes na esperança de o mais breve possível possam retornar à vida corrida de treinos e competições. As lembranças do início do ano as motivam: Thayane foi terceiro lugar na Seletiva Nacional e no Meeting Nacional Sub 18 e Sub 21, classificando-se para a seleção brasileira de base. Thayná, garantiu o segundo lugar na Seletiva Nacional na sua categoria, uma lesão a impediu de disputar o Meeting, porém, após recuperação, conseguiu assegurar o primeiro lugar no Torneio de Abertura da Federação de Judô do Estado do Rio de Janeiro (primeira etapa do Circuito Estadual), ocorrido no início de março. E é com esse gosto de vitória que Thayane e Thayná desejam retornar aos tatames nacionais e internacionais.