Voltar

Unimed Paraná celebra o Dia C relembrando as iniciativas em prol do combate aos efeitos da pandemia do novo coronavírus

Unimed Paraná celebra o Dia C relembrando as iniciativas em prol do combate aos efeitos da pandemia do novo coronavírus

Unimed Paraná celebra o Dia C relembrando as iniciativas em prol do combate aos efeitos da pandemia do novo coronavírus

2 Julho 2020
O Dia C é o maior movimento de estímulo às iniciativas transformadoras das cooperativas do país. No primeiro sábado de julho – junto com o Dia Internacional do Cooperativismo – as cooperativas brasileiras se unem em torno de uma mesma corrente do bem para a Celebração do Dia de Cooperar.  O Movimento expressa pelo Brasil inteiro os valores cooperativistas, como ajuda mútua, responsabilidade, democracia, igualdade, equidade e solidariedade.
Em tempos de pandemia e isolamento, as cooperativas também tiveram que se adequar para celebrar as ações voluntárias desenvolvidas em 2020, principalmente as que se destacam no combate à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). 
Com o intuito de cumprir seu papel social neste momento de enfrentamento da pandemia da COVID-19, desde o mês de abril, o Sistema Unimed Paranaense reuniu esforços para distribuir protetores faciais para profissionais de saúde que atuam em hospitais do estado, prestando atendimento a quem precisa. Desta forma, a Unimed colabora com o poder público e com a comunidade. Esses protetores feitos de PVC cristal 060 micras cobrem totalmente o rosto, ampliando a proteção. Além disso, são reutilizáveis pelo fato de permitirem a higienização constante, podendo ser lavados ou limpos também com álcool em gel. Nessa primeira fase, foram adquiridos cerca de 20 mil protetores faciais, sendo metade para utilização e distribuição pela Unimed Curitiba.
Segundo o presidente da Unimed Paraná, Paulo Faria, a medida tem o objetivo de contribuir para a proteção de nossos médicos, enfermeiras e demais trabalhadores no atendimento ao novo coronavírus, colaborando assim com o Sistema de Saúde do estado do Paraná, pois a maioria dos hospitais atende tanto o SUS quanto o Sistema Suplementar.
De acordo com o diretor de Mercado e Comunicação, Alexandre Bley, essa ação está vinculada ao nosso propósito maior que é o cuidar. “Estamos pensando também no cuidado dos profissionais de ponta. Mandamos confeccionar esses materiais pela sua capacidade de proteção ao profissional que vai utilizar, bem como sua durabilidade e praticidade”.
Para o diretor-presidente da Unimed Curitiba, Rached Hajar Traya, fazer isso é mais do que uma obrigação para uma cooperativa de trabalho médico com 48 anos de história, que é considerada a maior operadora de plano de saúde do Paraná e está entre as cinco maiores do país. “Mais do que nunca, a pandemia da COVID-19 está nos fazendo refletir sobre a importância de valorizar a vida e de cooperar. Eu costumo dizer que essa pandemia tem nos desafiado a sermos mais humanos, a sermos mais conscientes de que nossas ações individuais impactam no bem-estar coletivo, e a sermos mais cuidadosos uns com os outros. O cuidado está em nosso DNA enquanto cooperativa e, por isso, nós decidimos destinar esses equipamentos de proteção àqueles que estão na linha de frente, dentro de hospitais públicos e que atendem SUS”, afirma.
É importante destacar que o enfrentamento ao novo coronavírus implica em uma série de cuidados pessoais tanto no que diz respeito à higienização, quanto ao contato com outras pessoas. O uso de máscaras representa apenas um desses cuidados. Os médicos da cooperativa lembram que os principais cuidados ainda continuam sendo a higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel e evitar aglomerações. No entanto, o uso de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) é fundamental para quem é da área da saúde e atua na linha de frente no enfrentamento da COVID-19 provocada pelo novo coronavírus.
A Unimed Paraná e a PUCPR se juntaram a ateliês da cidade para produção de aventais. Além de ajudar a financiar a confecção de mil aventais, comprou a metade, para distribuir entre profissionais de saúde também no estado.  A falta de EPIs é uma das maiores preocupações da cooperativa. E várias ideias estão surgindo na comunidade, inclusive com a produção desses equipamentos por setores que, comumente, não os fazem. Com gráficas, no caso dos protetores faciais, ou mesmo, estilistas, no caso de aventais hospitalares. 
O aumento significativo no número de casos de Covid-19 no Paraná, motivou a Unimed Paraná a inovar e criar uma nova ferramenta para fortalecer o enfrentamento da doença. Para garantir a melhor assistência aos clientes e beneficiários, além de auxiliar as Singulares e a rede credenciada, foi criado o Centro de Controle Estadual Covid-19, baseado em seis pilares de atuação para gerir as informações e demandas estaduais de maneira mais eficiente.
A aproximação da fase crítica reforçou a necessidade da cooperativa – responsável pela assistência de mais de 1,5 milhão de vidas – se organizar e minimizar os possíveis prejuízos assistenciais ou financeiros, como explica a médica e gerente de Atenção à Saúde e do Núcleo de Inteligência e Informações em Saúde da Unimed Paraná, Oáidia Noceti Serman. “Surge a necessidade de integração de dados, informações e demandas, de forma centralizada e organizada, para resolvermos problemas mais rapidamente, ou mesmo com a organização e padronização, minimizarmos os riscos inerentes a esta fase”, pontua.
De acordo com a gerente, a comunicação rápida entre os integrantes do Centro é um dos fatores-chave do processo, pois possibilita uma resposta mais rápida e assertiva aos eventuais problemas. “Temos a participação de diversos setores da Unimed Federação e de pontos focais de todas as Singulares do estado, com suporte também a nossa rede credenciada, para garantir a assistência adequada a nossos clientes e à sociedade paranaense, como um todo”.