Voltar

Roda de Conversa Infantil fala sobre o desenvolvimento da linguagem e formas de estimulo em casa

Roda de Conversa Infantil fala sobre o desenvolvimento da linguagem e formas de estimulo em casa

Roda de Conversa Infantil fala sobre o desenvolvimento da linguagem e formas de estimulo em casa

10 Julho 2019

Em tempos em que os bebês já nascem tecnológicos, os pais têm se deparado com novas dificuldades, sobretudo, quanto ao uso do celular e os impactos das novas tecnologias no desenvolvimento da linguagem dos seus filhos. 
Para falar sobre o tema e levar orientação aos beneficiários, que estão vivenciando a experiência da aquisição da fala pelos filhos, a Unimed Pato Branco realizou no dia 25 de junho, mais uma edição da Roda de Conversa Infantil. O encontro reuniu em torno de 18 beneficiários, entre pais, mães, cuidadores e professores e contou com a orientação da fonoaudióloga Pamela Trindade e da nutricionista Karise Brasil, integrantes da equipe multiprofissional do Centro de Atenção à Saúde – CAS. 
A escolha pelo tema: “Desenvolvimento da linguagem e como estimulá-lo em casa”, de acordo com a fonoaudióloga Pamela Trindade, partiu do fato de que no consultório, este é um dos assuntos de maior demanda dos pais, e que gera muitas dúvidas e insegurança. 
Alguns pais chegam no consultório preocupados, que seu filho não está desenvolvendo a linguagem da mesma forma que outras crianças, da mesma faixa etária. Mediante a estas preocupações, entre os assuntos que fomentaram a roda de conversa infantil foi a importância do estímulo, bem como o cuidado, quanto ao uso de aparelhos eletrônicos, principalmente o celular.
Existem muitas maneiras, que os pais podem adotar, para estimular o desenvolvimento da linguagem dos filhos em casa, e evitar que eles precisem de terapia com um fonoaudiólogo ou psicólogo. Inclusive, é possível estimular ainda na gestação, quando o bebê passa a sentir os estímulos da mãe.
“Há várias opções que os pais podem usar para estimular o desenvolvimento da linguagem, como músicas e contação de histórias, e esses podem ser desenvolvidos ainda na gestação. Também, evitar deixar os brinquedos em livre acesso, para que a criança tenha a necessidade de pedir por eles. E quando ela apontar, que deseja um brinquedo, antes de entregá-lo, forçá-la a expressar algum som, mesmo que não seja o som certo”, pontuou a fonoaudióloga.
Sobre o uso do celular, Pamela mencionou que não existe uma regra, que diga que não se deve dar o celular para as crianças. O problema tem sido o mau uso, quando os pais entregam o aparelho para a criança e deixam por tempo indeterminado, de maneira que ela não vai usá-lo como um estimulo saudável, mais sim, prejudicial para o seu desenvolvimento. 
Patrícia Danieli Horn é professora em séries de educação infantil e ensino fundamental 1. Ela ministra a disciplina de educação física e educação especial. Ela participou da roda de conversa infantil e disse se interessou porque considerou o assunto importante para o trabalho que ela desenvolve na escola. 
“Eu trabalho com crianças que estão na faixa etária de desenvolvimento da linguagem e este é um assunto polêmico, porque convivo com crianças de todos os níveis, as que já falam, as que precisam de estimulo e as que ainda estão em desenvolvimento. Então eu vim buscar esse conhecimento, para saber como ajudar, como orientar os pais e as professoras, quando for necessário”, explicou. 
Rodas de Conversas Infantil
As Rodas de Conversa Infantil são realizadas a cada dois meses. Os próximos encontros serão em 27 de agosto, com o tema: “Desfralde do bebê, é natural ou precisa de estímulo?”; 29 de outubro: “Meu bebê não come!” e 10 de dezembro: “Como estimular o desenvolvimento neuromotor do bebê de 0 a 2”.
Para participar dos encontros basta fazer a inscrição pelo telefone 46 2101 3000 “opção 2”, ou pelo e-mail: cas@unimedpbco.coop.br. O projeto é voltado para beneficiários da Unimed Pato Branco e a participação é sem custo.

Roda de conversa reuniu pais, cuidadores e professores