Unimed Petrópolis conscientiza sobre os cuidados com a alimentação nas DII

Caminhada maio roxo reuniu mais de 300 pessoas no centro histórico de Petrópolis

Unimed Petrópolis conscientiza sobre os cuidados com a alimentação nas DII

Caminhada maio roxo reuniu mais de 300 pessoas no centro histórico de Petrópolis

7 Maio 2019

Unimed Petrópolis conscientiza sobre os cuidados com a alimentação nas DII

Caminhada maio roxo reuniu mais de 300 pessoas no centro histórico de Petrópolis

Com o objetivo de chamar a atenção sobre o diagnóstico precoce das doenças inflamatórias intestinais, a Unimed Petrópolis se uniu ao Grupo Reto Crohn Petrópolis e participou da tradicional caminhada Maio Roxo. Realizada no dia 04 de maio, o evento reuniu mais de 300 pessoas na Praça da Liberdade. Dentro da iniciativa do Mude1Hábito, a Unimed Petrópolis orientou sobre “Os Cuidados com Alimentação nas DII (Doenças Inflamatórias Intestinais)” com dicas elaboradas pela nutricionista Isadora Lorang.

O presidente da Unimed Petrópolis, Rafael Gomes de Castro, alerta sobre a importância do diagnóstico precoce na melhoria da qualidade de vida do paciente.

“Como não há prevenção para a doença, o intuito da campanha é alertar para o diagnóstico precoce. No material informativo distribuído durante a campanha, são destacados alguns dos sintomas que devem servir de alerta para que a população busque um especialista: dor abdominal, diarreia crônica, aftas orais, dores articulares, manifestações oftalmológicas e dermatológicas são alguns dois sintomas das doenças inflamatórias intestinais”, informou Rafael Gomes de Castro.

Petrópolis acompanha o índice mundial de incidência das doenças inflamatórias intestinais. De acordo com o organizador do movimento na cidade, o médico gastroenterologista, cooperado da Unimed Petrópolis, José Francisco da Silva Vieira, a estimativa é de que uma proporção entre 0,5 a 10 pessoas a cada 100 mil habitantes, por ano, desenvolvam uma das doenças inflamatórias intestinais - retocolite ou crohn.  

“A intenção da caminhada foi despertar a atenção das pessoas para as doenças que atrapalham suas vidas tanto na parte social, quanto na psíquica porque muitos pacientes deixam de frequentar alguns ambientes como universidades, por exemplo, por vergonha da condição. Em alguns casos, a pessoa entra em um quadro de depressão. São doenças sem cura, mas que, com o devido acompanhamento, permitem que o paciente mantenha a qualidade de vida", explicou José Francisco da Silva Vieira. 

A caminhada que chegou em sua 8ª edição, antecede a data oficial de alerta internacional, o dia 19 de maio, quando há intensificação de informações sobre os danos causados pelas doenças inflamatórias intestinais. 

“Essa é uma campanha muito importante para conscientizar a população para essa doença que pode ser controlada se diagnosticada precocemente. A doença pode se manifestar em pessoas na faixa etária entre 14 e 40 anos e após os 60 anos. Muitas pessoas não conhecem a doença e quem recebe o diagnóstico precisa de acompanhamento, hoje estamos aqui para mostrar que é possível manter a qualidade de vida e a rotina”, disse a nutricionista Isadora Lorang.


Suelen Oliveira

Fonte: Unimed Petrópolis