Voltar

Covid-19: Inverno exige cuidados redobrados para evitar coronavírus

Covid-19: Inverno exige cuidados redobrados para evitar coronavírus

Infectologista da Unimed Petrópolis reforça a importância das medidas preventivas

Covid-19: Inverno exige cuidados redobrados para evitar coronavírus

Infectologista da Unimed Petrópolis reforça a importância das medidas preventivas

20 Julho 2021

A estação mais fria do ano traz consigo a alta probabilidade de infecções respiratórias e, em meio a pandemia da Covid-19, surge a preocupação com o possível agravamento do contágio da doença neste período – o que já foi alertado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em junho.

O infectologista da Unimed Petrópolis, Antonio Luiz Chaves explica que o comportamento adotado pela maioria das pessoas no inverno, como manter os lugares fechados, por exemplo, é algo que pode facilitar a disseminação do coronavírus. Por isso, manter os ambientes ventilados e dar continuidade às medidas preventivas são fatores indispensáveis para evitar o contágio da Covid-19.

“Não há dúvida de que no frio as pessoas trancam a suas janelas, não oxigenam seus ambientes. Porém, sabemos que isso pode ampliar a disseminação da Covid-19, então não devemos deixar os ambientes fechados, seja em casa, no trabalho, no ônibus ou em qualquer lugar. Além disso, precisamos continuar nos prevenindo, usando máscara, higienizando as mãos e mantendo o distanciamento social”, ressalta o médico.

Medidas de prevenção devem ser mantidas após vacinação

Esperada e almejada pela maioria do público, a vacina contra a Covid-19 pode ser considerada sinônimo de esperança e tem o objetivo de oferecer proteção individual e coletiva contra a infecção viral. Dessa forma, quanto mais pessoas forem imunizadas, menor será a circulação do vírus.

O infectologista da Unimed Petrópolis reforça que mesmo após a vacina, as pessoas devem manter as medidas de prevenção, pois ainda de acordo com ele, o indivíduo imunizado poderá contrair o vírus, mas não desenvolverá as formas graves da doença. Apesar disso, poderá transmitir para outras pessoas, o que exige grande cuidado.

“O vírus continua circulando e as pessoas vacinadas também poderão ser contaminadas e transmitir. A gente sabe que todas as vacinas que temos no Brasil são excelentes e assim como todas as outras, elas evitam as formas mais graves da doença. Por isso, é de grande importância que se tome a vacina (independente de qual seja) e que se mantenha as medidas de prevenção", concluiu.


Ana Luiza Garcia