Voltar

Dieta equilibrada ajuda a fortalecer o sistema imunológico

Dieta equilibrada ajuda a fortalecer o sistema imunológico

Nutricionista do Programa Viver Bem da Unimed Poços dá dicas para cuidar da alimentação neste tempo de pandemia

Dieta equilibrada ajuda a fortalecer o sistema imunológico

Nutricionista do Programa Viver Bem da Unimed Poços dá dicas para cuidar da alimentação neste tempo de pandemia

29 Junho 2020

A alimentação tem um papel fundamental na saúde das pessoas,  fornecendo nutrientes necessários à manutenção e ao ótimo funcionamento do organismo. Mas ela ajuda a fortalecer o sistema imunológico?

Segundo Adriene Paulino, Nutricionista do Programa Viver Bem da Unimed Poços, esta é a pergunta que mais se ouve dos pacientes neste tempo de coronavírus. "Todos querem saber quais alimentos aumentam a imunidade", conta Adriene. "É importante lembrar que não existem alimentos específicos, mas nutrientes de grande importância, como o zinco e as vitaminas C, D e E, que colaboram para o fortalecimento do sistema imune".

A nutricionista explica que são inúmeras as estratégias que vão auxiliar o sistema de defesa e ajudar a melhorar a qualidade de vida. "Devemos adotar uma dieta  equilibrada, com mais frutas e verduras; priorizar o aproveitamento integral dos alimentos, utilizando talos, cascas e sementes; estabelecer e respeitar horários para a alimentação, distribuindo-as em mais refeições - ao invés de três, faça cinco ou seis por dia, sem exagero -, mastigando bastante os alimentos para que eles sejam mais bem digeridos e, desse modo, melhor absorvidas as vitaminas e nutrientes", ressalta Adriene. "Uma dica para quando se sentir muito agitado ou ansioso é comer uma maçã com casca, ou cenoura crua. Mastigue bastante e procure sentir a mastigação para liberar as tensões da mandíbula".

Também é importante evitar o consumo de alguns alimentos, entre eles, Adriene cita os enlatados e industrializados, temperos prontos, que são ricos em calorias vazias, sódio, gorduras trans e aditivos químicos, assim como alimentos com alto teor de açúcares, gordura e farinha de trigo, como doces, compotas, chicletes, balas,  salgadinhos e biscoitos, pois provocam excitação exagerada no organismo. "Embutidos, condimentos industrializados, alto consumo de bebidas alcoólicas, também favorecem o aumento da pressão e glicemia, sendo contraindicados para hipertensos e diabéticos", completa.

Outro fator destacado pela nutricionista para ajudar a melhorar a imunidade é o consumo de água, que pode ser por meio também de sucos e chás. "A hidratação é uma importante aliada nas infecções virais e é fundamental para o bom funcionamento do organismo", destaca Adriene. "Manter uma hidratação adequada é uma das maneiras de ajudar o sistema imune a funcionar adequadamente. A água, dentro do nosso organismo, exerce várias funções, como a excreção de impurezas e manutenção da temperatura corporal. Com poucas impurezas no corpo, as células de defesa têm mais tempo para se proteger contra outras ameaças, como a covid-19, por exemplo. Ela é importante para a produção de saliva e é na boca que acontece o primeiro combate contra agressores da nossa saúde. Atenção especial às pessoas mais velhas, que se esquecem de beber água. Para saber se a pessoa está hidratada preste atenção aos sintomas: urina amarela escura, cansaço e tontura, secura na boca, lábios e olhos, dor de cabeça, diminuição da produção de urina (menos de 4 vezes ao dia). Consuma ao menos 2 litros de água por dia e não beba grandes volumes de uma vez".

Os alimentos e o seus nutrientes

Adriene preparou uma lista onde são encontrados o zinco e as vitaminas C, D e E:

Zinco - cereais e  oleaginosas. São fontes boas de zinco: carne, frango, peixe, fígado, gérmen de trigo, nozes, farinha chia, farelo de aveia, grãos e tubérculos;

Vitamina C – vegetais crus e frutas: limão, laranja, caju, acerola, maracujá, kiuí, tomate, abacaxi, mamão, tangerina e vegetais como repolho, couve-flor, espinafre,  agrião, alface, rúcula e pimentão verde;

Vitamina E: óleos e pastas vegetais. São fontes da vitamina: óleos vegetais, folhas verdes escuras, laticínios, abacate e azeite.

A vitamina D é sintetizada pelo nosso organismo a partir da exposição ao sol e estudos têm demonstrado redução do risco de infecções respiratórias com o uso contínuo de vitamina D. São fontes de vitamina D: óleo de peixe, sardinha, carnes, gema de ovo, óleo de fígado de bacalhau, atum, cogumelos, fígado de boi, salmão, leite e derivados.

Confira algumas receitas preparadas pela nutricionista, clicando aqui!

Uma dieta equilibrada colabora com o nosso sistema imune

 


Ana Luisi

Fonte: Unimed Poços