Voltar

Projetos desenvolvem atividades online

Projetos desenvolvem atividades online

Projetos Bola para Vencer, Desafiando Limites no Paradesportivo e Volare preparam os alunos por meio de atividades virtuais

Projetos desenvolvem atividades online

Projetos Bola para Vencer, Desafiando Limites no Paradesportivo e Volare preparam os alunos por meio de atividades virtuais

24 Agosto 2020

Realizado há quase dois anos, o projeto Bola para Vencer não parou neste tempo de pandemia. Desenvolvido pelo ex-jogador Fábio Paulista e apoiado pela Unimed Poços, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura e ao Esporte, o projeto mantém as atividades por meio de vídeo-aulas, divulgadas nos grupos de whatsapp das 160 crianças e jovens, com idade entre 7 e 17 anos, atendidas. Os vídeos são produzidos pelo Fábio, na garagem do prédio onde mora, com o apoio da filha Maria Carolina, de 11 anos. “Apesar das dificuldades, está sendo muito bacana”, conta Fábio. “As famílias dos alunos estão dando muito apoio e 70% retornam com vídeos realizando as atividades para que eu possa avaliar e sugerir melhorias. O apoio da Unimed Poços tem sido fundamental neste momento”.

O treinador procura trabalhar não só a parte física dos alunos, mas também a mental. Para que eles se conscientizem da importância de levarem o treino a sério, de evoluírem e estarem preparados para quando a vida voltar ao normal, Fábio aproveita para compartilhar vídeos de motivação. “Como o futebol é um esporte coletivo, temos que ficar atentos para os alunos não desmotivarem”, ressalta Fábio. “Para isso, envio filmes que os motivem. Os resultados são excelentes. Os meninos têm correspondido, mostrando que estarão prontos para quando recomeçarmos com os treinos presenciais”.

Fábio e a filha durante fimagem do treinamento

Desafiando Limites no Paradesportivo

Desde que foi iniciado, em 2011, o projeto Desafiando Limites no Paradesportivo nunca tinha vivido um momento de tantos desafios. Apoiado pela Unimed Poços desde a primeira edição, há nove anos, os seus professores foram  surpreendidos pela pandemia e, de um dia para outro, tiveram que se adaptar. E o fizeram de uma forma brilhante. Pioneiros em transformar os treinamentos presenciais em virtuais, Eraldo Sandi dos Santos, coordenador do projeto, e Bruno Santos Pereira, professor, estão conseguindo ótimos resultados, ajudando os alunos a manterem a forma física, o foco no esporte e, principalmente, o vínculo com a equipe. “Com o lema ‘Fique em casa sim, mas parado não’, estamos trabalhando remotamente com os nossos alunos, possibilitando que desenvolvam as atividades em suas casas, utilizando espaços e materiais adaptados”, conta Bruno.

Segundo Eraldo, o objetivo maior é fazer com que os alunos melhorem a técnica, pois a parte física é mais fácil de ser recuperada. “Mantivemos o cronograma e a periodicidade dos treinamentos estabelecidos antes da pandemia para cada um dos esportes desenvolvidos: Futebol de 7, Natação, Atletismo, Bocha Paralímpica e Tênis de Mesa”, explica o coordenador. “Isso só se tornou possível com a continuidade do patrocínio da Unimed Poços quem desde o início das nossas atividades, tem sido uma grande parceira e nos ajudado a conquistar os excelentes resultados no paradesportivo”,

A aceitação dos alunos está sendo excelente. “As aulas virtuais são muito boas, pois mesmo com a pandemia, continuo focado e mantendo a rotina de treinos, o meu peso e o físico preparado para competições”, contou Otávio Miguel Ferreira, aluno do Futebol de 7.

Para Isabel Ferreira, atleta da Natação, os exercícios são de grande importância para que os alunos mantenham o corpo em atividade e a mente focada no esporte e nos seus objetivos. “Isso é essencial para que possamos voltar bem daqui um tempo”, observa.

A mesma opinião é compartilhada por Mônica Xavier e Valmir Avelino, ambos do Atletismo. Monica diz que “os exercícios têm ajudado a não ficar parada em casa e a se preparar para quando tudo voltar ao normal, e Valmir lembra que, “nesse tempo de pandemia, o acompanhamento dos professores é essencial”.

Valmir, atleta do Atletismo, e Isabel, da Natação

Projeto Volare

A equipe da Volare, que oferece prática de Ginástica Rítmica Desportiva a 80 crianças e adolescentes, com idade entre 4 a 18 anos, está oferecendo atividades online para os alunos,  desde o final de março.

“Enfrentamos muitas dificuldades, como falta de espaço e até mesmo falta de infraestrutura de internet de alguns alunos. Mas não paramos, pois é muito importante que as meninas continuem a treinar para não perderem todo o trabalho que já realizaram”, destaca Isabella Fernanda Gouvêa, técnica da Volare. “Por meio do whatsapp e do aplicativo Zoom estamos promovendo três treinos semanais, de duas horas e meia cada um, divididos por faixa etária, como fazíamos quando eram  presenciais, respeitando o contraturno escolar: na parte da manhã, ele é direcionado às crianças menores e, à tarde, às maiores. Aos sábados, participamos do treinamento da seleção brasileira, ocasião em que nossas alunas têm a oportunidade de conversar e compartilhar experiências um uma atleta de renome na área. A cada sábado é sorteada uma aluna para participar”.

O esforço está sendo recompensado. No início de junho, cinco atletas da Volare participaram do Circuito Escolar de São Paulo com sucesso e a conquista de um primeiro lugar. “A competição foi online a partir de vídeos enviados pelas participantes”, conta Isabella. “Todas as nossas participantes receberam medalhas e a Elena Durante, 17 anos, foi a melhor na categoria Senior, ficando em primeiro lugar”.

Para a campeã da competição virtual, que pratica esta modalidade esportiva há cinco anos, foi uma experiência diferente mas muito legal. “Me deu mais ânimo para continuar treinando, mesmo que virtualmente”, disse Elena.

Alina da Volare durante exercício em casa


Ana Luisi

Fonte: Unimed Poços