Realização de exames toxicológicos

Os exames relativos à lei 13.103, de 02/03/2015, são exigidos para os motoristas com categoria C, D e E e deverão ser realizados tanto pelos motoristas autônomos quanto pelos empregados em instituições de transporte. Serão demandados na primeira habilitação e na renovação da carteira, ou dependendo do tempo em que tenha sido realizado o teste, a cada dois anos e meio.

Quanto começa a valer?

Fevereiro de 2016

Para quem é exigido?

A funcionários recém-contratados em seus exames admissionais e periódicos em empresas de transporte.

A que se propõe?

Detecção de substâncias ilícitas e lícitas que implicam em risco para o motorista e para a população.

A informação é captada por meio de fio de cabelo e/ou pelo. Pode ser detectado o consumo de até um ano, no máximo, e 90 dias, no mínimo. Este exame tem janela de detecção maior que a urina.

O fio de cabelo pode detectar vários tipos de drogas, entre elas:

  • Maconha e derivados
  • Cocaína e derivados, inclui crack e merla
  • Opiáceos, inclui codeína, morfina e heroína
  • Anfetaminas e metanfetaminas
  • Ecstasy (MDMA e MDA)
  • Anfetpramona
  • Femproporex
  • Mazindol

 

Programa de acompanhamento para colaboradores detectados

  • 0800 para suporte e orientação emocional;
  • Serviço nacional para que o empregado em acompanhamento ligue a qualquer dia e horário, com suporte para momentos de crise de abstinência e emocional;
  • Contato proativo com psicólogo;
  • Acompanhamento de três meses que prevê duas ligações proativas ao colaborador para estimular a adesão ao programa e acompanhar a sua evolução;
  • Avaliação de psiquiatra;
  • Avaliação de psiquiatra para verificação do caso, prescrição de medicamentos e identificação de transtornos;
  • Acompanhamento semanal com psicólogo;
  • Doze sessões com psicólogos, realizadas uma vez por semana, com finalização em até três meses.