Voltar

Unimed Porto Velho promove treinamento sobre Cooperativismo a novos integrantes

Unimed Porto Velho promove treinamento sobre Cooperativismo a novos integrantes

Unimed Porto Velho promove treinamento sobre Cooperativismo a novos integrantes

8 Agosto 2019

“A união faz a força”. As pessoas crescem ouvindo esta frase, mas quando ingressam em uma cooperativa, passam a conhecer o seu verdadeiro sentido. Nos dias 2 e 3 de agosto, a Unimed Porto Velho promoveu o treinamento de introdução ao cooperativismo a novos cooperados.

O curso foi ministrado por Paulo Cata, fundador e diretor executivo da DGESS, Diagnóstico e Gestão Especializada em Serviços de Saúde. Ele explica que no cooperativismo cada integrante tem que cooperar com o restante do grupo, onde quanto mais se produz, mais se ganha. No entanto, ele explica que na saúde é um pouco diferente dos outros mercados de cooperativas, o “produzir mais” no final das contas é mais despesas. “Então, o objetivo é encontrar um equilíbrio entre as ações como médico e como cooperado. E isso somente é possível a partir do conhecimento sobre o funcionamento da operadora em todos os âmbitos”, esclarece.

“A diretoria de nossa Cooperativa é um canal aberto aos cooperados, como também, temos profissionais qualificados à disposição dos cooperados nas mais diversas áreas, que podem passar qualquer orientação necessária e esclarecer dúvidas”, afirma Robson Jorge Bezerra, presidente da Unimed Porto Velho, que esteve presente no curso, estreitando os laços com os novos integrantes.

Saleh M. Abdul Razzak, diretor administrativo e fundador da Unimed Porto Velho, também participou dos dois dias de treinamento, compartilhando experiências e enriquecendo mais ainda o encontro. “É gratificante fazer parte desde o início destes 35 anos da nossa Cooperativa, participando do seu crescimento e compartilhando momentos como este, onde celebramos a entrada de novos colegas, mantendo o ciclo de renovação”, conta.

Paulo Cata conta que a maioria dos médicos, em sua formação acadêmica, não tem o embasamento para o empreendedorismo, portanto, ele não é levado a entender que a saúde pode não ter preço, mas ela tem custo. “Então trazer esse tema a eles, os torna mais conscientes ou muito mais conscientes, porque muitos já vêm com uma coerência empresarial e eles colaboram com o grupo e com o negócio”.

Robson Jorge lembra que o contato do cooperado com a Cooperativa e seu funcionamento deve ser constante. “Como sempre buscamos nos manter atualizados nos assuntos relativos à medicina, devemos também nos manter atualizados sobre a operadora, resoluções da ANS,  e nunca esquecer que no consultório o cooperado atende como médico e como empresário, não é dissociado a partir do momento que ele coopera a uma empresa”, finaliza.

Clique aqui e confira algumas imagens.