Mamãe, você sabia que a vacinação durante a gestação protege você e seu bebê de inúmeras doenças infeciosas, como a coqueluche?

A coqueluche é uma doença respiratória altamente contagiosa, podendo ser fatal para os bebês, mas que pode ser evitada com a imunização da mãe durante a gravidez. Além da vacina Tríplice bacteriana acelular do tipo adulto (difteria, tétano e coqueluche) - dTpa, há outras vacinas recomendas durante a gestação para a prevenção de doenças na mãe e no bebê, que estão disponíveis na rede pública. Consulte sempre o seu médico.

 

COQUELUCHE

A coqueluche é transmitida por meio das gotículas produzidas pela tosse ou pelo espirro e pode causar complicações sérias e, algumas vezes, fatais em crianças pequenas. Nos bebês, as complicações incluem: hospitalização, pneumonia, convulsões, danos cerebrais e, em casos severos, até a morte. Sabe-se que a coqueluche normalmente é transmitida por familiares. Os bebês normalmente pegam dos pais, irmãos, avós e outros familiares, que podem nem saber que estão doentes. Por isso, a importância da mãe se imunizar.

Em 2019, houve 1.374 casos confirmados de coqueluche no Brasil. Dentre esses, 53% ocorreram em bebês menores de 1 ano de idade.

 

CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO DA GESTANTE
Recomendações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) – 2020/2021

 

Vacinas Esquemas e recomendações Comentários Disponibilização das vacinas
Gratuitas na UBS* Clínicas privadas de vacinação
Recomendadas
Tríplice bacteriana acelular do tipo adulto (difteria, tétano e coqueluche) - dTpa ou dTpa-VIP

Dupla adulto (difteria e tétano) - dT
Histórico vacinal Conduta na gestação - A dTpa está recomendada em todas as gestações, pois além de proteger a gestante e evitar que ela transmita a Bordetella pertussis ao recém-nascido, permite a transferência de anticorpos ao feto protegendo-o nos primeiros meses de vida até que possa ser imunizado.

- Mulheres não vacinadas na gestação devem ser vacinadas no puerpério, o mais precocemente possível.

- Na falta de dTpa, pode ser substituída por dTpa-VIP, ficando a critério médico o uso off label em gestantes
SIM, dT e dTpa SIM,
dTpa e
dTpa-VIP
Previamente vacinada, com pelo menos três doses da vacina contendo o componente tetânico Uma dose de dTpa a partir da 20ª semana de gestação, o mais precocemente possível
Em gestantes com vacinação incompleta tendo recebido uma dose da vacina contendo o componente tetânico Uma dose de dT e uma dose de dTpa, sendo que a dTpa deve ser aplicada a partir da 20ª semana de gestação, o mais precocemente possível. Respeitar intervalo mínimo de um mês entre elas.
Em gestantes com vacinação incompleta tendo recebido uma dose da vacina contendo o componente tetânico Uma dose de dTpa a partir da 20ª semana de gestação, o mais precocemente possível. 
Em gestantes não vacinadas e/ou histórico vacinal desconhecido.  Duas doses de dT e uma dose de dTpa, sendo que a dTpa deve ser aplicada a partir da 20ª semana de gestação. Respeitar intervalo mínimo de um mês entre elas. 
Hepatite B Três doses, no esquema 0-1-6 meses A vacina hepatite B é recomendada para todas as gestantes suscetíveis. SIM SIM
Influenza (gripe) Dose única anual A gestante é um grupo de risco para as complicações da infecção pelo vírus influenza. A vacina está recomendada nos meses da sazonalidade do vírus, mesmo no primeiro trimestre de gestação. Desde que disponível, a vacina influenza 4V é preferível à vacina influenza 3V, por conferir maior cobertura das cepas circulantes. Na impossibilidade de uso da vacina 4V, utilizar a vacina 3V. SIM, 3V SIM, 3V E 4V

* UBS - Unidades Básicas de Saúde
Fonte: Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) - https://sbim.org.br/