Voltar

Como estimular o desenvolvimento do bebê até 12 meses

Como estimular o desenvolvimento do bebê até 12 meses

Entenda as fases do desenvolvimento infantil e descubra formas de estimular brincando

Como estimular o desenvolvimento do bebê até 12 meses

5 Janeiro 2021

O desenvolvimento infantil é o conjunto de habilidades motoras, cognitivas e emocionais que a criança adquire nos primeiros anos de vida.

É também fonte de alegrias e preocupações de muitos pais, mães e cuidadores: o que o bebê deveria saber fazer com essa idade? Como brincar e estimular sua evolução? Vamos ajudar a responder algumas dessas perguntas no que se refere aos primeiros 12 meses de vida.

Mas, antes, um lembrete: informação é essencial, mas não substitui o acompanhamento do médico pediatra.

 

Quais são os marcos do desenvolvimento infantil no primeiro ano de vida?

Como estimular o desenvolvimento do bebê?

Brincadeiras para estimular o bebê mês a mês

O que fazer em caso de atraso no desenvolvimento?

 

Quais são os marcos do desenvolvimento infantil no primeiro ano de vida?

O olhar, o sorriso, a forma como se firma, se mexe e se comunica: observar cada uma dessas características e conquistas, além de ser emocionante, é fundamental para entender o desenvolvimento do bebê.

No primeiro mês de vida, o desenvolvimento é avaliado pelos pediatras a partir dos reflexos instintivos da criança: a capacidade de sucção, o reflexo de fechar a mão quando algo é colocado na palma, a reação diante de barulhos (normalmente se acalmam com ruídos leves) e a atração por objetos brilhantes ou pontos luminosos.

Pouco a pouco, os movimentos deixam de ser meros reflexos e passam a demonstrar intenção: o bebê faz maior contato visual com as pessoas e objetos ao redor, reconhece seus cuidadores, sorri, dá risadinhas para chamar a atenção, estica a mãozinha para pegar um brinquedo, descobre (e leva à boca) as mãos e os pés, emite sons e balbucios na tentativa de imitar o que ouve. 

No desenvolvimento motor, três etapas fundamentais são esperadas:

  • entre 2 e 5 meses: sustentar a cabeça
  • entre 7 e 10 meses: sentar sem apoio
  • entre 12 e 18 meses: andar sem apoio

Esses marcos costumam ocorrer em momentos diferentes em prematuros ou bebês com outras condições de saúde. Por isso, é sempre importante o acompanhamento e a orientação de um pediatra durante toda a infância.

Quer saber quais habilidades são esperadas mês a mês? Confira nesta matéria sobre o desenvolvimento da criança nos primeiros anos de vida.

 

Como estimular o desenvolvimento do bebê?

O melhor estímulo ao desenvolvimento do bebê é oferecer um ambiente afetuoso, seguro e com liberdade para explorar. O suporte carinhoso e atento de um adulto já é tudo o que ele precisa.

Mas, muitas vezes, o adulto não sabe o que fazer. Como brincar com um bebê, se ele não responde? Por isso, listamos algumas dicas e brincadeiras que ajudam os adultos a entenderem as etapas do desenvolvimento do bebê e se divertirem juntos nesse processo de descoberta e conquistas de habilidades.

 

Antes, cinco lembretes gerais sobre estímulo:

  1. As dicas estão organizadas mês a mês, especialmente para não pular etapas. As sugestões do primeiro mês, valem para os meses seguintes também. Não precisa restringir a brincadeira! 
  2. Sempre que manusear o bebê, converse com ele, chame-o pelo nome, explique o que está fazendo, fale sobre os movimentos dele, nomeie os objetos, sensações, partes do corpo. Tente caprichar nas expressões faciais. Veja como ele presta atenção em você
  3. O interesse em relação a cada uma das brincadeiras varia de acordo com a personalidade da criança. Apresentar novidades e estimular é superlegal, mas não deve ser fonte de estresse para cuidadores ou crianças. A ideia é ser divertido para todos!
  4. Por isso, observe bem as reações para não forçar nenhuma atividade para a qual o bebê não esteja pronto. Essa observação também é importante para a conversa com o pediatra, para avaliar se está tudo dentro do esperado 
  5. Procure conversar com o pediatra para ajustar a expectativa de desenvolvimento de bebês prematuros. Dependendo do nível de prematuridade, é preciso considerar a idade corrigida.

 

Brincadeiras para estimular o bebê mês a mês

1º mês: você pode estimular a visão e o movimento ocular movendo lateralmente objetos coloridos a cerca de 20 ou 30 cm da criança (é a distância máxima que conseguem enxergar). Com chocalhos suaves, músicas calmas e conversa, você ajuda o bebê a entender o mundo ao redor. Alternar as posições ao segurar o bebê no colo ajuda a firmar a cabecinha: voltado para o corpo, de bruços, virado para frente (como se fosse uma cadeirinha)

2º mês: além de seguir as dicas do primeiro mês, experimente colocar o bebê de bruços por alguns minutos, algumas vezes por dia. Isso ajuda a estimular os músculos do pescoço e dos bracinhos. Esse exercício deve ser feito gradualmente, sempre com acompanhamento de adulto, que pode colocar brinquedinhos coloridos nos lados para estimular a lateralidade. Se o bebê chorar, pare e tente em outro momento

3º mês: mantenha o bebê de barriga para baixo mais vezes para brincar, mas continue sempre junto. Coloque brinquedinhos ao alcance da mão para que ele tente pegar. Ofereça objetos com texturas diferentes para ele tocar (espuma, madeira, tecido, borracha etc.)

4º mês: o bebê tende a estar com o pescocinho mais firme e começando a participar mais da brincadeira. Experimente brincar de careta ou de “cadê?/achou”, ao esconder e revelar o próprio rosto ou um brinquedo com uma fralda. Observe sua reação e olhares. Em superfícies seguras, deixe objetos atrativos próximos para que ele tente rolar e pegar. Brinque com a mãozinha dele, mostre os dedinhos (vale brincar de mindinho, seu vizinho; contar até 5; passe a sua mão na dele, movimentando os seus dedos). Ofereça brinquedos e mordedores seguros, porque vai começar a fase de levar tudo à boca

5º mês: para estimular o bebê a sentar, segure-o pelos braços ou axilas e puxe levemente para a frente. Faça isso numa superfície macia e firme. No início, deixe almofadas ao lado e, conforme ele se firmar, poderá se sentar sem apoio. Deixe brinquedos na frente e aumente um pouco a distância para estimular o bebê a projetar o tronco para a frente e exercitar o equilíbrio. Continue conversando e cantando para o bebê, narrando as ações. Escutar e imitar os balbucios dele também estimula a comunicação. Outra brincadeira de comunicação legal é fazer caretas na frente do espelho. Isso estimula o bebê a imitar e mover os músculos da face

6º mês: aos seis meses, o bebê consegue sentar com pouco ou nenhum apoio e está pronto para começar a introdução alimentar, que também pode ser um bom momento de brincadeira e experimentação de texturas e sabores. Além disso, vale ler mostrando as figuras dos livrinhos, brincar de esconder um brinquedo para ele procurar, segurar o bebê pelas axilas reproduzindo o movimento de pula-pula

7º mês: continue estimulando os sentidos, apresentando texturas, sabores e o contato com a natureza. Nas brincadeiras, estimular que ele passe o brinquedo de uma mão para a outra, e que entregue a outra pessoa também. Musiquinhas estimulando o movimento de bater palmas e acenar também podem ser estimulados

8º mês: deixe o bebê mais tempo no chão, numa superfície segura com brinquedos atrativos não muito longe para que ele tente se locomover para alcançá-los. Comemore com ele, quando ele conseguir

9° mês: já é possível brincar de passar a bola ou brinquedo um para o outro no chão, brincar com potes e tampas. É provável que ele comece a engatinhar ou se arrastar. Uma forma de estimular o bebê a engatinhar é colocar obstáculos fáceis como uma almofada ou as suas pernas no caminho entre ele e o objeto de desejo. Ao tentar ultrapassar, ele fortalece os bracinhos e as costas para sustentar o corpo ao engatinhar – lembrando que engatinhar não é considerado um marco de desenvolvimento, pois alguns bebês podem “pular” essa fase

10º mês: os movimentos passam a ser mais coordenados. Você pode oferecer a colher para ele tentar comer sozinho. Músicas e instrumentos musicais estimulam o ritmo. Brincadeiras com tintas naturais, giz de cera grande, areia estimulam os sentidos. Prepare-se para a lambança!

11º mês: para estimular a criança a andar, procure mantê-la descalça (ou com meia antiderrapante, em caso de frio) para que possa sentir o terreno e firmar melhor os pezinhos. O melhor estímulo é criar um ambiente seguro e livre, sem ansiedade. Os primeiros passos sem apoio são esperados até os 18 meses. A criança pode começar a se apoiar em móveis, sofás, camas para ficar em pé e caminhar em volta. Ela está aprendendo a se equilibrar, tombos fazem parte do processo. Proteja quinas, fique por perto, mas tente controlar o seu medo para não transmitir insegurança. Um lembrete: o uso de andadores é contraindicado pela Sociedade Brasileira de Pediatria, pois atrapalham o desenvolvimento da habilidade natural e ainda podem provocar acidentes

12º mês: parabéns, seu bebê completou um ano! É possível que ele ainda não caminhe, mas já se locomova para buscar o que quer. Ele busca a comunicação por gestos e balbucios. Reconheça e comemore seus esforços, repetindo os nomes das coisas. No mais, continue conversando, brincando, proporcionando um ambiente afetuoso e seguro.

 

O que fazer em caso de atraso no desenvolvimento?

É muito importante que todo bebê seja acompanhado pelo pediatra em consultas mensais no primeiro ano de vida. Além de verificar medidas e pesos, essas consultas são o momento para conversar sobre as percepções do desenvolvimento neurológico e motor da criança.

Em casos de possíveis atrasos no desenvolvimento - como firmar a musculatura e o olhar e indícios de interação -, o pediatra poderá sugerir o acompanhamento de especialistas em neuropediatria, fisioterapia ou fonoaudiologia.

Independentemente de haver algum diagnóstico de atraso ou não, sua presença, interação, confiança e exemplo são os melhores estímulos que a criança pode ter.


Texto: Agência Babushka | Edição e Revisão: Unimed do Brasil

Fonte: Einstein, Fundação Maria Cecília Couto Vidigal, Revista Pais e Filhos, Blogs Tempo Junto e Macetes de Mãe

Revisão técnica: equipe médica da Unimed do Brasil


Média (5 Votos)
Avaliar:

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em