Voltar

Ebola foi tema de palestra promovida pelo Hospital Unimed

Ebola foi tema de palestra promovida pelo Hospital Unimed

Ebola foi tema de palestra promovida pelo Hospital Unimed

24 Outubro 2014

Médicos cooperados e o corpo de enfermagem do Hospital Unimed assistiram na tarde desta quarta-feira a uma importante palestra de orientação sobre o vírus Ebola.

A infectologista Clarissa Guedes chamou a atenção para a forma de contágio e alguns dos aspectos que geraram a oportunidade para os 15 surtos registrados desde 1976, quando o Zaire registrou os primeiros casos da doença causada pelo vírus. Ela salientou que a sociedade teme que se torne uma pandemia como a que tivemos com a Gripe A, a H1N1. Mas afirma que no caso do Ebola, o contágio é mais difícil, porque precisa de contato físico com o doente, enquanto a gripe era transmitida através do ar.

Falou também, que a medicação usada hoje ainda é experimental e que as condições sanitárias dos países onde a epidemia se concentra – Serra Leoa, Libéria e Guiné – são muito precárias, e não apresentam sequer Equipamento de Proteção Individual para os trabalhadores da saúde. O que, de acordo com ela, teria facilitado a contaminação das duas enfermeiras, uma europeia e outra americana, que contraíram Ebola trabalhando na Libéria.

Já existem estudos para a produção de um antiviral, a exemplo do que foi feito na prevenção da gripe A, quando foi disponibilizado o Tamiflu. Mas, a infectologista alerta que o principal método de proteção é o traje de isolamento composto de macacão impermeável, botas e cobre-botas, máscaras e luvas.

Ainda não há casos de Ebola registrados no Brasil. Os pacientes suspeitos de contagio foram liberados.

A palestra foi promovida pelo Hospital Unimed de Santa Maria na intenção de orientar seus profissionais e apresentar os kits de EPI para uso obrigatório em caso de registro de Ebola.








Fotos: Márcia Marinho