A Unimed Santos está participando do Projeto Parto Adequado, que objetiva mudar o modelo de atenção ao parto e nascimento, com base nas melhores evidências científicas disponíveis e em experiências desenvolvidas na saúde suplementar. A expectativa é que haja a redução de cesarianas sem indicação clínica, e a diminuição de eventos adversos, decorrentes de um parto não adequado.

O projeto é uma iniciativa conjunta da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), do Hospital Israelita Albert Einstein e do Institute for Healthcare Improvement (IHI), com o apoio do Ministério da Saúde.
Na fase atual, o Projeto Parto Adequado está sendo implementado em hospitais privados e públicos, na forma de projeto-piloto, para testar estratégicas a serem depois aplicadas em outras instituições hospitalares.

A Unimed Santos atua em parceria com o Hospital São Lucas, que está entre os hospitais privados integrantes do grupo piloto. A Cooperativa também assinou o Termo de Cooperação proposto pela ANS, já que o órgão regulador quer o envolvimento dos planos de saúde na iniciativa.
A principal inovação a ser testada no âmbito do projeto-piloto diz respeito às mudanças no processo de cuidado, que envolvem:

1. Adequação de recursos humanos para a incorporação de equipe multiprofissional nos hospitais e maternidades;

2. Capacitação profissional para ampliar a segurança na realização do parto normal;

3. Engajamento do corpo clínico, da equipe e das próprias gestantes;

4. Revisão das práticas relacionadas ao atendimento das gestantes e bebês, desde o pré-natal até o pós-parto.

Para a diretora de Desenvolvimento Setorial da ANS, Martha Oliveira, “é preciso resgatar a forma adequada de se fazer todo o acompanhamento do pré-natal e do parto, com o melhor desfecho possível para a mãe e o bebê”.

Em abril, a Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou um alerta sobre o excesso de cesarianas desnecessárias. O Brasil é o líder mundial, disparado, nesse tipo de parto. 

Em todo o mundo, os serviços de saúde e profissionais só recorrem à cesariana quando o parto normal pode levar à morte da gestante ou da criança. No Brasil, de acordo com os dados do Ministério da Saúde, 84% dos brasileiros que vêm ao mundo na rede particular nascem de parto cirúrgico. Na rede pública, são 40%. Segundo a OMS, a porcentagem adequada gira em torno dos 15%. Na Finlândia e na Holanda é de 17%, na França, de 21%.


HOSPITAL SÃO LUCAS

Hospital participante do parto adequado na área de ação da Unimed Santos.

Endereço: Av. Dona Ana Costa, 168 - Vila Mathias, Santos - SP
Telefone: (13) 2102-5000

Fonte: Unimed Santos.