Voltar

Ultrassonografia contemporânea

Ultrassonografia contemporânea

Dr. Cezar Santinho “Avanços fantásticos e novas técnicas evidenciam expansão da especialidade”

Ultrassonografia contemporânea

Dr. Cezar Santinho “Avanços fantásticos e novas técnicas evidenciam expansão da especialidade”

A ultrassonografia é modalidade que compõe o diagnóstico por imagem, área da medicina responsável por estudar, de maneira não invasiva ou minimamente invasiva, os variados órgãos do corpo humano, sua anatomia e doenças.

É especialidade reconhecida pela Associação Médica Brasileira e por outros órgãos da classe médica, e somente médicos com formação específica podem praticá-la.

É método diagnóstico consagrado, na classe médica e entre pacientes. Por não emitir radiação ionizante, é inofensivo ao paciente e, portanto, amplamente utilizado em obstetrícia e em pediatria.

Além disso, produz imagens em tempo real, é dinâmico, o que propicia a análise de órgãos em movimento, facilitando o estudo do coração, dos movimentos respiratórios, das alças intestinais, dos músculos e, principalmente, dos vasos sanguíneos.

CONQUISTAS

Os aparelhos de ultrassonografia podem ser deslocados entre vários ambientes, facilitando a avaliação de pacientes à beira do leito. Dispõe-se hoje de máquinas portáteis estilo notebook, que possibilitam o exame em situações específicas, como dos pacientes em regime domiciliar (home care).

As máquinas de ultrassonografia atuais são equipadas com tecnologia que permite a análise de múltiplos parâmetros, em um único exame.

A avaliação em escala de cinzas, ou modo bidimensional, evoluiu com resolução de detalhes, o que tornou o método protagonista em diagnósticos de várias doenças, como lesões musculares e de nervos periféricos.

O modo Doppler é capaz de analisar o fluxo sanguíneo caracterizando alterações como varizes ou obstrução de artérias. Também é usado para vasos do fígado, rins e na apreciação de órgãos transplantados.

A elastografia, recentemente incorporada, fornece informações em relação à rigidez das estruturas.  Quanto mais rígido um órgão ou estrutura, maior a possibilidade de suspeição para fibrose ou malignidades. É técnica utilizada para observação dos diversos graus de fibrose hepática.

PADRÃO OURO  

O mais recente parâmetro agregado é a avaliação por contraste. É opção para opinião sobre nódulos hepáticos e renais, lesões de paredes de alças intestinais e estudo de grandes vasos. Extremamente vantajoso, pois não é excretado pelas vias hepática e renal, e com risco muito baixo de reações adversas.

É importante também a análise em modo tridimensional. Muito conhecida das gestantes, fornece o famoso Baby Face. É extremamente útil na avaliação de malformações do útero e no posicionamento de dispositivos intrauterinos (DIU).

O porte, a mobilidade e a resolução de detalhes possibilitam a realização de procedimentos intervencionistas em ambientes especiais, como centro cirúrgico. É modalidade inicial para tentativa de punções de tumores, e já é método padrão ouro no estudo de nódulos de mama e da tireoide.

Têm sido empregado, também, como procedimento terapêutico para drenagem de infecções em cavidades do corpo, evitando intervenções com sedação profunda e internações prolongadas. Também é usado no intraoperatório de cirurgias para ressecção de tumores, avaliando as margens livres ao redor da lesão.

Não devemos esquecer a ultrassonografia como complementação diagnóstica de exames de mamografia, e como parceira da ressonância nuclear magnética, na avaliação da endometriose profunda.

NA UNIMED

No conceito da multidisciplinaridade, o Centro de Diagnóstico por Imagem da UNIMED SANTOS disponibiliza a clientes e a cooperados equipamentos com tecnologia para desenvolver as diversas técnicas descritas, além da facilidade da integração do método às demais modalidades, agilizando a decisão diagnóstica e terapêutica. 

 

 

 

 

 

  Dr. Cezar Santinho é médico ultrassonografista,

  membro titular do Colégio Brasileiro de Radiologia

  e cooperado da Unimed Santos, desde janeiro de 2001.