Voltar

Curso oferece informações que orientam gestantes e acompanhantes

Curso oferece informações que orientam gestantes e acompanhantes

Curso oferece informações que orientam gestantes e acompanhantes

9 Dezembro 2019

Se preparar para o momento da chegada do bebê é, às vezes, cercado de muita ansiedade e emoção. Nesse contexto, é vital saber o que deve ou não fazer durante a gestação e após o nascimento da criança. Por essa razão, o Núcleo de Saúde Integral da Unimed São João del Rei ofereceu, de 25 a 27 de novembro, o Curso de Gestante, realizado no Anfiteatro da Instituição.

Ao todo, 30 gestantes e seus acompanhantes participaram da capacitação que abordou várias questões que implicam na gestação e nos cuidados com o recém-nascido. Durante o evento, as alterações emocionais, a importância da atividade física e da amamentação, os cuidados com as mamas e com os bebês e orientações nutricionais para as gestantes foram alguns dos temas abordados.

A importância de expressar os sentimentos

No primeiro dia, a psicóloga Sanny Baeta falou sobre as alterações emocionais durante a gravidez. De acordo com a psicóloga, existem vários fatores que provocam alterações emocionais e psicológicas na gestante, que por vezes são relacionados à própria mulher, do ponto de vista biológico e da personalidade, ou podem vir do meio externo.

A profissional cita duas situações que merece atenção, uma delas é o Baby Blues, uma alteração emocional que decorre da desestabilização hormonal que pode ter sintomas relacionados à sensibilidade aflorada, insegurança, melancolia, culpa e dificuldade de se sentir feliz. Os sintomas da depressão pós-parto se confundem com a primeira alteração, porém é profundo e persistente e tem um início mais tardio, normalmente entre a 4ª e 8ª semanas após o parto.

Sanny Beata explicou a importância de criar espaços para trabalhar sentimentos, aderir a terapias alternativas (arte-terapias, meditação, yoga e outras), leituras e filmes, músicas, lazer, preparo cognitivo. Ela também abordou a relevância do pai, não só na gestação, mas por toda a vida.

 

Amamentar é bom, barato, adequado e ideal

Apesar das dificuldades que as mães enfrentam ao oferecer o leite materno, principalmente aquelas que têm o primeiro filho, é preciso incentivá-las a amamentar. Essa é a defesa que o pediatra cooperado, Rômulo Guilherme Gaede, fez durante a sua palestra. O leite materno é necessário para o desenvolvimento do bebê sob diversos aspectos, sejam eles físicos, emocionais, imunológicos e sociais.

Entretanto, o médico afirma que não é só nos primeiros meses de vida que a amamentação é importante e tem efeito positivo sobre a saúde da pessoa. A leite materno tem efeito benéfico por toda vida, ao prevenir diversas doenças, entre elas o câncer.

Também não é apenas para o bebê que incentivar a amamentação é essencial. Para as mães, ele traz benefícios ao facilitar a recuperação após a gestação e diminuir a incidência de alguns tipos de câncer.

O médico ressalta a importância de eventos que instruam as mães, nos moldes do Curso de Gestante, uma vez que 60% das mães que não amamentam não a fazem por falta de informação e orientação.

Contudo, para amamentar, é preciso ter cuidado com as mamas o que facilita esse momento que, mais que nutrir, envolve amor, afeto, assim como defende Rômulo. E pensando nisso, a enfermeira e coordenadora do Núcleo de Saúde Integral, Christiane Fernandes, explicou como deve ser o cuidado com as mamas, as técnicas de amamentação, a preparação para a ordenha, como retirar o bebê do peito corretamente, a higiene oral após a amamentação, como fazer o bebê arrotar e o riscos de uso de almofadas e outros objetos pequenos nos berços.

Sobre as complicações que podem ocorrer com as mamas durante o aleitamento, a enfermeira apresentou as características de cada uma delas e como preveni-las e tratá-las. Sobre os cuidados com o bebê, Christiane apresentou como deve ser dado o banho, os cuidados com o coto umbilical, a importância de aplicar as vacinas e fazer as triagens e uso de produtos, a exemplo dos óleos, para massagear e acalmar o recém-nascido.

 

A saúde da criança é influenciada pela alimentação materna

O desenvolvimento do bebê, desde o ventre, tem forte relação com a alimentação da futura mamãe. Sobre esse e outros assuntos, a nutricionista Rayla Rufino apresentou uma oficina que abordou a alimentação na gestação e na lactação. A princípio, ela explicou que a alimentação saudável está relacionada à presença de todos os nutrientes, ao fracionamento das refeições, a mastigação adequada e à higiene pessoal e dos alimentos.

Ela também abordou os nutrientes e minerais que são necessários a cada trimestre da gestação e aqueles que devem ser evitados. A nutricionista apontou as intercorrências que podem ocorrer durante a gestação, tais como a picamalácia (desejo de comer coisas estranhas não alimentares), náuseas e vômitos, azia e constipação intestinal.

Durante a lactação, a mãe precisa ter uma amamentação saudável, uma vez que colabora para a composição adequada do leite materno, acelera a perda de peso pós-parto, ganho de peso e nutrição adequada do bebê e maior imunidade de ambos.

Ao final, a nutricionista fez um relato de experiência que emociona até quem o lê. Ela conta que durante sua gestação aguardava com expectativa o momento em que iria amamentar o seu filho. Porém, por razões desconhecidas seu filho mamou no peito apenas uma vez, depois de muita insistência, e não quis mais o leite materno. Ao final, ela esclarece que faz esse relato com o intuito de confortar outras mães que podem passar por a essa situação.

 

Atividade física como forma de cuidado e prevenção de doenças

Viver o momento da gestação com tranquilidade e saúde é o desejo de toda mulher e a atividade física ajuda a concretizá-lo, desde que orientadas pelo médico e respeitadas as contraindicações. Esse foi o foco da palestra do fisioterapeuta Alessandro Santos que tratou de questões teóricas e práticas. Além de melhorar a saúde e facilitar o processo do parto, principalmente se for normal, e a recuperação da gestante após dar à luz.

Em um primeiro momento, ele explicou a anatomia da mulher, a relevância de atividade física e os benefícios para a saúde, através do controle e prevenção da hipertensão, diabetes, depressão, lombalgias, dentre outros problemas de saúde. O fisioterapeuta também sugeriu a prática de exercícios através da caminhada em local plano por pelo menos 30 minutos, RPG, pilates, hidroterapia, yoga, academia, drenagem linfática, fisioterapia respiratória e tantas outras possibilidades que vão atender às necessidades de cada gestante.