Voltar

Surdez: tipos, sinais e inclusão

Surdez: tipos, sinais e inclusão

Quanto mais informações, mais empatia. Quanto mais empatia, mais inclusão

Surdez: tipos, sinais e inclusão

15 Setembro 2020

Todo surdo é mudo? Quais são os tipos de surdez? É possível prevenir? Dia 26 de setembro foi instituído como o Dia Nacional do Surdo, desde 2008 e, para dar visibilidade a esse tema, respondemos a essas e outras dúvidas! Aqui você vai ver:

 

Surdez: o que é e principais causas

Tipos de surdez e prevenção

Quais são os sinais e os sintomas de surdez na infância?

Tratamentos para surdez

Inclusão e acessibilidade para pessoas surdas

 

Surdez: o que é e principais causas

rapaz surdo utiliza um tablet

O termo surdez ou deficiência auditiva se referem tanto à perda completa quanto à diminuição de audição. Por existirem vários níveis, ela pode impedir ou apenas dificultar a percepção dos sons pelo indivíduo. Uma pessoa pode nascer surda ou se tornar, dependendo da causa.

As causas da surdez podem ser várias. Elas podem resultar... 

…de problemas com a mãe durante a gestação:

  • Alcoolismo e/ou uso de drogas na gravidez
  • Rubéola na gestação
  • Desnutrição materna

...de problemas com o bebê na gestação e/ou nascimento:

  • Prematuridade
  • Anoxia perinatal (falta de oxigenação ao bebê no nascimento)
  • Má formação na região da cabeça e pescoço

...de fatores ao longo da vida: 

  • Infecções bacterianas
  • Infecções por vírus
  • Exposição a barulhos intensos
  • Uso de medicamentos tóxicos ao ouvido
  • Presbiacusia - envelhecimento da audição em idosos

Por conta disso, existem diferentes tipos de surdez, vamos entender?

 

Tipos de surdez e prevenção

um rapaz realiza exame de audição

Nosso sistema auditivo é como uma máquina: cada pecinha faz a sua parte para garantir o bom funcionamento. Quando uma dessas peças “falha”, o sistema já não trabalha como antes. Dê uma olhada em como nosso ouvido é “por dentro”:

O tipo de surdez depende de onde o problema se encontra:

  • Surdez de condução ou transmissão: causada no ouvido externo e médio. Muitas vezes pode ser tratada com medicamento ou cirurgia
  • Surdez neurossensorial: causada no ouvido interno e/ou vias nervosas. Pode ser progressiva e geralmente é permanente
  • Surdez mista: causada tanto no ouvido externo e/ou médio, quanto no interno. Há uma combinação entre perda auditiva condutiva e neurossensorial
Dica: não é correto dizer que todo surdo ou deficiente auditivo é mudo. Muitos surdos realmente não falam por não terem aprendido a falar, mas existem surdos oralizados (que desenvolveram a fala com tratamento fonoaudiológico) e aqueles que perderam a audição depois de adultos e, portanto, já sabiam falar.

E, em alguns dos casos, é possível, sim, prevenir a surdez. As ações preventivas podem vir da mãe, durante a gestação, como a vacinação contra a rubéola, exames preventivos de sífilis e toxoplasmose, entre outros; ou da própria pessoa ao longo da vida, como no tratamento precoce de otites, no uso de Equipamento de Proteção Individual em ambientes de trabalho barulhentos, e na menor exposição a ruídos intensos.

Quais são os sinais e os sintomas da surdez na infância?

mãe ajuda filha a inserir o aparelho auditivo

Identificar a surdez demanda atenção aos sinais. Antes de mais nada, é preciso que todo bebê faça o teste da orelhinha nos primeiros dias de vida, ainda na maternidade ou logo após a saída da maternidade. O teste é feito com um fone de ouvido e avalia a resposta do recém-nascido aos estímulos sonoros.

Quando a perda auditiva não é identificada no teste da orelhinha, mas acontece ainda na infância, alguns sinais ajudam a identificar. Veja 8 sinais de perda auditiva em crianças:

  1. A criança não acorda com barulhos fortes
  2. Não atende quando chamada pelo nome
  3. Olha muito para os lábios de quem fala
  4. Pede continuamente que a outra pessoa repita o que foi dito
  5. Fala muito alto ou baixo
  6. Não presta atenção na aula e apresenta dificuldades em entender o que o professor fala
  7. Aumenta constantemente o volume da televisão e/ou aparelhos sonoros
  8. Tem dificuldade em ouvir e falar ao telefone e ouvir sinais da campainha

Vale considerar que o diagnóstico precoce é muito importante, seja para mapear a causa, seja para barrar a progressão, quando possível, ou, ainda, para oferecer condições de adaptação para o desenvolvimento emocional, social e de linguagem da criança.

 

Tratamentos para a surdez

médico realiza exame em paciente

Antes de avaliar os tratamentos existentes, vale lembrar que a surdez não é incapacitante. Isso quer dizer que uma pessoa surda e/ou deficiente auditiva é plenamente capaz de realizar todas as funções de uma pessoa ouvinte e o que pode dificultar isso é a falta de acessibilidade.

Os tratamentos são para facilitar o dia a dia e a comunicação. Eles podem variar de acordo com o grau e o tipo de surdez, por isso, é tão importante buscar um especialista. Aqui, apresentamos os mais comuns:

O implante coclear, conhecido popularmente como “ouvido biônico”, é um equipamento que recria a cóclea humana e substitui o ouvido daqueles que têm surdez total ou bem severa. Seu implante é feito via cirurgia.

A prótese auditiva ou Aparelho de Amplificação Sonora Individual (AASI) é um equipamento usado atrás da orelha e responsável por aumentar – e até melhorar – o som que chega ao ouvido, facilitando a compreensão da pessoa com deficiência auditiva.

A medicação e as cirurgias também são possíveis para alguns tipos de deficiências auditivas reversíveis, como as causadas por infecções no ouvido. 

O acompanhamento com fonoaudiólogo também pode ser recomendado para estimular a oralidade da pessoa.

Em todos os casos, a adaptação e a inclusão da pessoa surda ou com deficiência auditiva é fundamental.

 

Inclusão e acessibilidade para pessoas surdas e deficientes auditivos

um casal fala através da linguagem de sinais

A forma como cada pessoa surda se adapta ao mundo pode variar. Algumas seguem o caminho da leitura labial. Outras, são oralizadas – falam o português.

Também existem aqueles que aprendem a Língua Brasileira de Sinais – Libras, mas essa língua só foi oficializada em 1995 e ainda está em crescimento. Vale lembrar que Libras não é universal, cada idioma tem a sua própria linguagem de sinais!

Parte importante da inclusão é a informação por parte de pessoas ouvintes. No caso de crianças, a família é fundamental no processo: imagine como pode ser frustrante não entender o que seus pais e irmãos conversam à mesa? Estimular a participação da criança no dia a dia, encontrar formas de se comunicar com elas e testar caminhos são boas dicas.

Já nos adultos, a informação e a empatia de colegas de trabalho, amigos, familiares e relacionamentos amorosos são palavras-chave. A surdez de idosos, por exemplo, muitas vezes vem acompanhada de um isolamento, já que família e amigos não sabem mais como se comunicar com eles. 

Quer saber mais sobre inclusão? Leia a matéria Quais atitudes ajudam a melhorar o dia a dia da pessoa com deficiência

Se você é ouvinte, vale buscar mais sobre o tema e tentar pensar na experiência da pessoa surda ou com deficiência auditiva: como você pode melhorar a inclusão e a acessibilidade no seu trabalho? E no dia a dia? Aprender Libras é uma opção para você? Faça o que for possível para tornar mais inclusivo o espaço para essas pessoas.


Texto: Agência Babushka | Edição e Revisão: Unimed do Brasil

Fonte: Instituto Nacional de Educação de Surdos, Hospital Sírio Libanês, Libras.com.br

Revisão técnica: equipe médica da Unimed do Brasil


Média (3 Votos)
Avaliar:

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em