Voltar

Alunos de escola pública recebem óculos do projeto Vi Ver Unimed

Alunos de escola pública recebem óculos do projeto Vi Ver Unimed

Alunos de escola pública recebem óculos do projeto Vi Ver Unimed

6 Setembro 2016
 
Dois alunos da escola EMEB Córrego Vermelho, de Itaoca Pedra, foram contemplados com um par de óculos de grau por meio do projeto “Vi Ver Unimed”, realizado pelo Núcleo Feminino de Cooperativismo, da Unimed Sul Capixaba. Os alunos participaram do programa que busca oferecer às escolas do sul do Estado a possibilidade de identificar e solucionar problemas visuais nos alunos da rede pública. Com a identificação do problema, crianças e adolescentes recebem a doação de óculos, corrigindo falhas e contribuindo para aumentar o desempenho escolar.
 
Durante o projeto, 449 alunos foram consultados, sendo que 58 serão enviados para consulta oftalmológica na Unimed Sul, por terem apresentado alteração no teste de acuidade visual aplicado na escola.
 
Recentemente, o aluno Bruno da Silva Coelho Júnior, da mesma escola, também recebeu os óculos por meio do projeto. A entrega foi feita pelas mulheres do núcleo, junto à diretora de Provimentos em Saúde da cooperativa Fabíola de Freitas Moraes, que comemora a boa recepção da iniciativa. “Estamos empolgados para ajudar outras crianças com problemas de visão. O projeto tem obtido resultados muito positivos”, afirma.
 
 
Sobre o Núcleo
 
O Núcleo Feminino de Cooperativismo tem como objetivo promover o desenvolvimento econômico e o bem-estar social da região onde atua. A cooperativa foi a primeira do segmento de saúde suplementar a adotar o modelo, que realiza ações que fomentam os valores do cooperativismo na região, especialmente a solidariedade.
 
Realizado em parceria com o OCB/Sescoop-ES, o núcleo é formado por mulheres ligadas à Unimed Sul Capixaba e envolve cooperadas, esposas de cooperados e colaboradoras. Nas reuniões, elas procuram estimular atitudes, habilidades e competências necessárias para melhorar a atuação feminina no quadro social cooperativista.  Elas também definem projetos e ações, com foco nos eventuais problemas sociais da comunidade do sul do Estado do Espírito Santo.
 
De acordo com a coordenadora do núcleo, Fabíola de Freitas Moraes, o trabalho do grupo se desenvolve primeiramente por meio das reuniões com a participação de todas as mulheres envolvidas. “Nós discutimos nossos papeis e o que cada uma gostaria de desempenhar. Desta forma, todas se sentem mais motivadas a participar”, afirma.