Voltar

Escute a sua voz: rouquidão é pedido de cuidado

Escute a sua voz: rouquidão é pedido de cuidado

Além das palavras, a voz rouca pode denunciar problemas de saúde; entenda e previna

Escute a sua voz: rouquidão é pedido de cuidado

14 Abril 2020
Apesar de haver outras formas de comunicação, a voz é a mais comum entre nós. E, por melhores imitadores que você conheça, cada voz é única. Ela é resultado de fatores físico-biológicos, mas também genéticos e ambientais. Conhecer a própria voz vai além de ouvir os áudios enviados por aplicativos de mensagens. Aqui, você vai ver:

Como a voz se forma? 

Rouquidão ou perda de voz: o que isso diz sobre a sua saúde?

Como cuidar da voz e prevenir problemas?

Dicas para uso profissional da voz

 

Como a voz se forma?

duas pessoas conversam
A voz se forma na laringe, onde ficam as pregas vocais (também conhecidas como cordas vocais). Quando o ar passa por elas, provoca uma vibração que produz um som. Esse som é moldado quando acionamos língua, boca e lábios, e amplificado ao percorrer as cavidades de ressonância — garganta, boca e nariz. Esse processo físico-biológico confere as características singulares de cada voz. 
 
Nossa voz também depende de características genéticas e ambientais. Assim como o gestual e a entonação, ela varia conforme convivemos com outras pessoas. Você já ouviu que tem a voz parecida com a de alguém da família ou de um amigo muito próximo? Mas não se engane: a voz pode até ficar parecida, mas continua única. 
 
Como resultado de um processo biológico, também a voz amadurece e envelhece. Isso é mais nítido entre os meninos na adolescência, que passam por um período de voz oscilante, com duração de cerca de seis meses, e acabam com ela mais grave. A partir dos 60 anos, a voz pode ficar mais fraca e adquirir características diferentes: mais grossa nas mulheres e mais fina nos homens. 
 

Rouquidão ou perda de voz: o que isso diz sobre a sua saúde e como tratar

uma médica consultando uma paciente
Além de comunicar o que você quer dizer através da fala, a voz também denuncia o seu estado de saúde.
 
Quando usada em excesso, as pregas vocais podem criar calos ou nódulos, que deixam a pessoa com a voz mais rouca ou mesmo afônica por um ou mais dias. Não há comprovação científica da eficácia de chás ou pastilhas contra rouquidão.
 
Nessas situações, é preciso deixar a laringe descansar: dormir bem, falar somente o estritamente necessário e beber bastante água ao longo do dia, até que a voz volte ao normal. Continuar forçando, por mais que se goste da “nova voz”, é agredir ainda mais os tecidos em volta das pregas vocais.
 
Rouquidão por mais de duas semanas é considerado um sinal de alerta, pois é uma manifestação comum do câncer de laringe, e precisa ser investigada. As chamadas disfonias – alterações na voz – ainda podem sinalizar problemas gástricos ou até neurológicos.
 
Rouquidão com tosse e pigarro crônicos podem ser causados por refluxo gastroesofágico. Já o enfraquecimento na voz é um dos sintomas avaliados em casos de doença de Parkinson, que enrijece os músculos, incluindo os da laringe. Questões mentais como depressão também podem alterar a voz deixando-a mais fraca e grossa. 
 
Por isso, a recomendação é não ignorar mudanças persistentes na voz. Qualquer caso de disfonia prolongada precisa passar pela avaliação de um médico otorrinolaringologista. 
 
Mau hálito também pode afetar a comunicação: livre-se desse incômodo https://www.unimed.coop.br/viver-bem/saude-em-pauta/mau-halito-livre-se-desse-incomodo

Como cuidar da voz e prevenir problemas

amigos cantando em um karaokê
A maior parte dos problemas vocais é provocada por seu “mau uso” e pode ser evitada. Gritos, sussurros, imitações, cantorias amadoras e pigarros, quando eventuais, não fazem mal, mas se feitos cotidianamente podem, sim, prejudicar a saúde da sua voz.
Gritos
O grito provoca um forte atrito entre as pregas vocais. Se acontecer com frequência, pode contribuir para o aparecimento de lesões na laringe ou nódulos vocais. 
Sussurro
A tensão que bloqueia o som natural da voz, se usada por longos períodos ou como um hábito, também pode prejudicar a laringe.
Pigarro
O pigarro corresponde a uma batida forte entre as pregas vocais e, se feito com muita frequência, pode irritar ainda mais a laringe. O pigarro persistente pode sinalizar alguma alergia, rinite ou sinusite. É importante que um médico otorrinolaringologista investigue a causa. 
Falar muito quando estiver rouco
Enquanto estiver rouco por causa de um resfriado ou uso abusivo da voz, procure poupar a fala. Diga apenas o estritamente necessário e num volume baixo (mas sem sussurrar).
Álcool e cigarro
As duas substâncias ressecam e irritam o tecido da laringe e podem provocar problemas na voz com o consumo em longo prazo.
Ar-condicionado e poluição
Os dois também podem provocar o ressecamento das pregas vocais. Se forem inevitáveis, o ideal é compensar bebendo bastante água ao longo do dia.
Imitações e canto excessivo sem treino
Alguns esforços para atingir tons diferentes podem sobrecarregar músculos e tecidos e comprometer a voz. Por isso, artistas que fazem uso profissional da voz costumam ter acompanhamento fonoaudiológico.
 

Uso da voz no trabalho

grupo de amigos conversando no escritório
Cantores, atores, professores, radialistas, apresentadores de televisão, atendentes de telemarketing, cerimonialistas… são muitas as profissões que têm a voz como principal ferramenta. O acompanhamento fonoaudiológico é fundamental para esses profissionais evitarem o desgaste e trabalharem técnicas de aquecimento e relaxamento vocal. 
 
Você não se enquadra nessas categorias, mas tem um projeto importante para apresentar ou um discurso a fazer? 
 
Alguns exercícios de respiração e aquecimento vocal ajudam a soltar os músculos envolvidos na fala e a manter a concentração. A recomendação específica varia de acordo com o indivíduo e com a necessidade. O fonoaudiólogo é o profissional capacitado para prescrever o exercício adequado. Mas algumas dicas gerais ajudam a sua voz a fluir:
  • Durma bem: as pregas vocais também precisam descansar; além de denunciar a voz cansada, uma noite mal dormida pode atrapalhar a organização das ideias
  • Água sempre: a hidratação constante em pequenos goles contribui para o funcionamento das pregas vocais, permitindo que vibrem de uma forma mais solta, o que diminui o esforço
  • Antes da apresentação, evite café ou álcool, porque eles ressecam a laringe. Alimentos gordurosos ou à base de leite não são recomendados pelo motivo contrário: provocam excesso de muco na região da garganta
  • Coma uma maçã: suas propriedades adstringentes ajudam na limpeza da boca e da faringe, o que melhora a ressonância da voz. O movimento de mastigação também reforça a musculatura responsável pela articulação dos fonemas
  • Postura: sentado ou em pé, mantenha a coluna ereta e fale na direção do seu público. Isso ajuda a voz a se projetar melhor 
  • Faça breves pausas durante a fala para beber água
Assim como caminhar mais do que você é acostumado pode deixar suas pernas cansadas, a voz também pode ficar cansada após um uso fora do padrão. Seja depois de uma apresentação prolongada ou uma noite no karaokê, é fundamental que você deixe sua voz descansar e tenha uma boa noite de sono. 
 
O problema para falar em público é a timidez? Você vai gostar de ler esta matéria aqui: https://www.unimed.coop.br/viver-bem/saude-em-pauta/como-deixar-a-timidez-de-lado-e-alavancar-a-carreira

Texto: Agência Babushka | Edição e Revisão: Unimed do Brasil

Fonte: SBFA (Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia)

Conteúdo aprovado pelo responsável técnico-científico do Portal Unimed.


Média (2 Votos)
Avaliar:

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em