Voltar

Medicina fetal: Especialista orienta sobre procedimentos preventivos

Medicina fetal: Especialista orienta sobre procedimentos preventivos

A Medicina Fetal é uma área de atuação da subespecialidade médica da ginecologia e obstetrícia, destinada a auxiliar na assistência pré-natal. O seu foco está no acompanhamento detalhado da gestante, avaliando risco, diagnosticando e tratando possíveis complicações na gravidez, relacionadas tanto à mãe quanto ao bebê.

Medicina fetal: Especialista orienta sobre procedimentos preventivos

A Medicina Fetal é uma área de atuação da subespecialidade médica da ginecologia e obstetrícia, destinada a auxiliar na assistência pré-natal. O seu foco está no acompanhamento detalhado da gestante, avaliando risco, diagnosticando e tratando possíveis complicações na gravidez, relacionadas tanto à mãe quanto ao bebê.

17 Julho 2019

A Medicina Fetal é uma área de atuação da subespecialidade médica da ginecologia e obstetrícia, destinada a auxiliar na assistência pré-natal. O seu foco está no acompanhamento detalhado da gestante, avaliando risco, diagnosticando e tratando possíveis complicações na gravidez, relacionadas tanto à mãe quanto ao bebê.

O especialista em Medicina Fetal, Thiago Ricardo Kerber Corrêa, do Centro de Imagem Unimed, com as competências necessárias para procedimentos preventivos e diagnósticos relacionados à gravidez, ressalta a importância do acompanhamento ultrassonográfico invasivo ou não, para corrigir malformações intraútero. “É fundamental a realização destes exames por um médico especialista, que tenha uma melhor acurácia deste diagnóstico de complicações da gestação e de malformações fetais com o uso de exames de imagem, especialmente a ultrassonografia”, pontua. 

 

No primeiro trimestre, segundo o médico, deve-se realizar um exame ultrassonográfico o mais precoce possível, com o objetivo de datar a gestação. Depois entre 11 e 13 semanas, faz-se o exame de Cálculo Doppler Morfológico. O objetivo é o rastreamento físico do bebê que pode desenvolver algumas complicações e da mãe que também pode sofrer com algumas doenças típicas da gestação.

 

No segundo trimestre são feitos exames de ultrassonografia morfológica com Doppler. O objetivo é analisar a formação estrutural do feto e suas possíveis malformações. Algumas destas malformações podem ser corrigidas com alguns procedimentos intraútero. Há outros casos em não é possível.  “Sabemos que este bebê terá que nascer em um hospital terciário, onde vai receber assistência adequada”, ressalta.

 

No terceiro trimestre a ultrassonografia obstétrica avalia o peso, o líquido amniótico, o fluxo de sangue e o crescimento proporcional do bebê.  Para tudo correr bem durante a gestação, é necessário que se tenha uma assistência pré-natal adequada, que dê estabilidade física e emocional para a mãe e para o bebê.


Fonte: JBGuedes