Voltar

Mitos e verdades sobre o PSA e o câncer de próstata.

Mitos e verdades sobre o PSA e o câncer de próstata.

Em valores absolutos e considerando ambos os sexos, o câncer de próstata é o quarto tipo de câncer mais comum e o segundo mais incidente entre os homens. Para a detecção precoce do câncer de próstata, dois testes são realizados: o toque retal e o exame de PSA. Confira a entrevista com o médico cooperado Dr. Francisco Ribas Marconato, Urologista.

Mitos e verdades sobre o PSA e o câncer de próstata.

Em valores absolutos e considerando ambos os sexos, o câncer de próstata é o quarto tipo de câncer mais comum e o segundo mais incidente entre os homens. Para a detecção precoce do câncer de próstata, dois testes são realizados: o toque retal e o exame de PSA. Confira a entrevista com o médico cooperado Dr. Francisco Ribas Marconato, Urologista.

31 Maio 2019

     Segundo o médico urologista Francisco Ribas Marconato, cooperado da Unimed Tubarão, membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia e da Sociedade Europeia de Urologia, o câncer de próstata não é uma doença somente do idoso. “É verdade que a doença é muito mais frequente em homens na terceira idade, chegando a atingir 75% deles com mais de 85 anos. Porém cerca de um terço dos homens entre 45 e 60 anos tem evidência histológica desse tumor”, ressalta Dr. Francisco nesta entrevista.
   O urologista acentua que o rastreio do câncer de próstata deve levar em consideração vários fatores, como o histórico familiar de câncer de próstata, raça, idade, comorbidades e expectativa de vida do paciente. Ainda segundo ele, o PSA aumenta com a idade e considerando ao longo dos anos, claramente se nota um aumento do PSA conforme o homem envelhece. Confira a entrevista.

O QUE É PSA?

Francisco Marconato – O PSA é uma substância glicoproteína produzida quase que exclusivamente pela glândula prostática. Sua produção é praticamente constante durante as 24 horas do dia. Por esse motivo ele é muito utilizado como marcador das doenças da próstata.

O PSA ELEVA SOMENTE NO CÂNCER DE PRÓSTATA?
Francisco Marconato – Não. O PSA elevado pode ocorrer em situações diferentes do câncer de próstata, como infecções urinárias, infecções da próstata (prostatites) e em atividades físicas ou esportivas que envolvam a região perineal.

O PSA AUMENTA COM A IDADE?
Francisco Marconato – Sim. Considerando a produção do PSA ao longo dos anos, claramente se nota um aumento de sua produção conforme o homem envelhece. Também é interessante lembrar que o nível do PSA pode aumentar na HPB (Hiperplasia Benigna da Próstata), a qual é o crescimento benigno da próstata.

UM PSA ALTERADO SIGNIFICA QUE O PACIENTE TEM CÂNCER DE PRÓSTATA?
Francisco Marconato – Não. Como dito, o PSA isoladamente não diagnostica câncer de próstata. Vários fatores como idade do paciente, velocidade desse aumento, volume da próstata e o toque retal é que irão determinar se há ou não suspeita de câncer de próstata.

SOMENTE O EXAME DE PSA É SUFICIENTE PARA DIAGNOSTICAR O CÂNCER DE PRÓSTATA?
Francisco Marconato – Não. Nós sabemos que 70% dos diagnósticos do câncer de próstata são realizados pela dosagem do PSA. Porém, como não é um exame específico para câncer de próstata, o médico ainda não pode “abrir mão” do toque retal.

EXISTE CÂNCER DE PRÓSTATA COM PSA NORMAL?
Francisco Marconato – Sim. Apesar de não ser comum, pode existir câncer de próstata com PSA normal. Infelizmente, esses casos podem representar tumores indiferenciados, ou seja, de pior prognóstico.

ALÉM DO PSA E TOQUE RETAL, QUAIS OUTROS EXAMES PODEM DIAGNOSTICAR O CÂNCER DE PRÓSTATA?
Francisco Marconato – Para aqueles pacientes que apresentam um PSA e toque retal alterados, o urologista poderá solicitar exame de imagem (ultrassom e/ou ressonância magnética) ou até uma biópsia prostática. Nesse caso, o diagnóstico definitivo somente se dará após a análise do resultado da biópsia.

O PACIENTE COM PSA ELEVADO DEVERÁ SEMPRE REALIZAR BIÓPSIA PROSTÁTICA?
Francisco Marconato – Não. O rastreio (screening) do câncer de próstata deve levar em consideração vários fatores, como histórico familiar de câncer de próstata, raça, idade, comorbidades e expectativa de vida do paciente. Em muitos casos, não existirá benefício em se diagnosticar um câncer de próstata se o urologista entender que se trata de uma doença indolente, cujo tratamento não implicará na qualidade de vida do paciente.

O CÂNCER DE PRÓSTATA É UMA DOENÇA SOMENTE DO IDOSO?
Francisco Marconato – Não. É verdade que a doença é muito mais frequente em homens na terceira idade, chegando a atingir 75% deles com mais de 85 anos. Porém cerca de um terço dos homens entre 45 e 60 anos tem evidência histológica desse tumor.

A PARTIR DE QUAL IDADE O HOMEM DEVE REALIZAR PSA?
Francisco Marconato – O rastreio do câncer de próstata através do toque retal e PSA reduziu significativamente a mortalidade deste tipo de câncer nos últimos 15/20 anos. Porém, isso não deve ser realizado de forma indiscriminada, pois em algumas situações, como citado acima, esse diagnóstico não trará vantagem ou banefício ao paciente. A orientação atual é que, para homens assintomáticos com história familiar de câncer de próstata ou da raça negra, esse rastreamento deve começar aos 45 anos. A Sociedade Brasileira de Urologia sugere, também, que para as demais situações o rastreamento deverá iniciar a partir dos 50 anos de idade, com toque retal e PSA até a idade de 80 anos naqueles homens com expectativa de vida maior que 10 anos.

Quem deve realizar o exame de PSA e quais fatores podem aumentar o risco de ter câncer de próstata?

– Idade
O risco de câncer de próstata aumenta com o avançar da idade. No Brasil, a cada 10 homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos.

– História de câncer na família
Homens cujo pai ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos.

– Sobrepeso e obesidade
O risco de desenvolver câncer de próstata na idade adulta é quase duas vezes maior em homens com sobrepeso de mais de 20 quilos.

– Afrodescendentes
possuem maior incidência de câncer de próstata.


JBGuedes