Voltar

Roncar pode ser sintoma de diversos problemas de saúde

Roncar pode ser sintoma de diversos problemas de saúde

Médica Aline Scarlatelli, do Centro Médico Unimed, diz que apneia do sono pode gerar riscos de enfarto, derrame, piora da pressão arterial, aumento de peso e diabetes

Roncar pode ser sintoma de diversos problemas de saúde

Médica Aline Scarlatelli, do Centro Médico Unimed, diz que apneia do sono pode gerar riscos de enfarto, derrame, piora da pressão arterial, aumento de peso e diabetes

31 Maio 2018

O roncar de uma pessoa é sempre tratado pelos mais próximos como um problema inconveniente e embaraçoso, mas na realidade ele pode ser um sintoma de diversos problemas de saúde, que deve ser tratado adequadamente por um profissional médico.

A médica Aline Scarlatelli, especialista em Medicina do Sono e que atende no Centro Médico Unimed, ressalta a diferença entre apneia e o ronco. O ronco pode acontecer por diversos motivos e muitas vezes é a ponta do iceberg. Não é todo mundo que ronca que tem apneia e nem todo mundo que tem apneia que tem roncos.

O ronco – além de incomodar quem está ao seu lado e ser bem inconveniente e embaraçoso – o grande problema é se está relacionado a fragmentação do sono e de pior qualidade ou, se está relacionado a apneia. A apneia é a obstrução da via aérea.

Segundo a doutora Aline, estudos mostram que a apneia do sono - em graus mais elevados - está relacionado a aumento dos riscos de enfarto, derrame, piora da pressão arterial, aumento de peso, diabetes, além da alteração do metabolismo.  O sono, segundo a doutora Aline, é muito importante para o metabolismo.

“Além do mais, tem a questão da qualidade de vida. O prejuízo para a qualidade de vida de um paciente que tem apneia do sono não tratada, tem o mesmo impacto de doenças muito sérias. Se você não dorme bem, no outro dia se fica sonolento e irritado. Pode também causar impotência sexual, estresse e depressão”, alerta.

Acrescenta que, também, pode desencadear sérios problemas de memória, mas não seria o responsável por causar Alzheimer. “Não lembrar das coisas porque se está realmente dormindo mal e um aviso de que há ocorrência de algum problema de saúde”, avisa.

SINAL DE ALERTA

O mais importante ao se identificar que alguém ronca, é servir de sinal de alerta de que algo pode não estar indo bem durante o sono. “Falo pode estar, porque tem pessoas que só roncam, mas não tem alteração do sono e nem apneia. Mas mesmo assim o sono continua sendo um sinal de alerta”.

A médica do Centro Médico Unimed ressalta que o problema maior pode estar por trás do ronco.  Neste caso é necessário procurar um médico para se fazer uma avaliação antes que a situação de saúde possa se agravar, podendo ter um enfarto ou mesmo vindo a óbito durante o sono em consequência da apneia.

Orienta que, trabalhar a respiração é um bom exercício para controlar o ronco, especialmente em casos mais leves, com crianças, em fonoaudilógas. Quando se fala em tratamento de apneia e de ronco, existem vários caminhos para isto. Tratamentos com dentistas, fonoaudilógas e tratamentos cirúrgicos, tudo dependendo da idade do paciente, do grau da doença e mesmo da anatomia.

“Não existe idade para ser ter problemas de ronco e de apneia. A causa em cada faixa etária é diferente e os tratamentos também se diferem”, ressalta a médica. O ronco, segundo doutora Aline, não é a noite inteira. Tem pessoas que roncam apenas em alguns momentos.

Muitos dos pacientes alegam que roncam quando tomam cerveja e quando dormem de barriga para cima. Mas em todas as situações, a médica lembra que há necessidade de se procurar um especialista. “É preciso saber se este ronco é acompanhado de apneia do sono ou se tem repercussão no sono”.

Apesar de não estar relacionado apenas as pessoas acima do peso, a obesidade é uma das grandes causas da apneia do sono. Mas não é a única. “As vezes o paciente tem apneia porque está acima do peso, mas também apresenta outras complicações. Mas, com certeza, o peso é uma das principais causas. É difícil um paciente com apneia de sono grave e obeso, conseguir perder peso sem tratar a apneia. A apneia muda todo o metabolismo”, diz.

A médica lembra que existem diversos tipos de tratamentos. É preciso primeiro, segundo ela, valorizar o sono. “As pessoas dormem pouco e dormem mal. Na sociedade atual as pessoas acham que dormir é perda de tempo. Não é. Dormir bem é essencial e uma atitude preventiva que pode gerar bem-estar e melhor qualidade de vida”, conclui.