Voltar

A importância do sono

A importância do sono

“Dormir bem é envelhecer com saúde” é o tema da Semana do Sono que, segundo a médica Aline Scartatelli, tem como objetivo informar a população que uma boa noite de descanso é fundamental para a qualidade de vida.

A importância do sono

“Dormir bem é envelhecer com saúde” é o tema da Semana do Sono que, segundo a médica Aline Scartatelli, tem como objetivo informar a população que uma boa noite de descanso é fundamental para a qualidade de vida.

14 Março 2019

     Segue até domingo, 17, a edição de 2019 da Semana do Sono, campanha anual de conscientização sobre a importância da qualidade e quantidade do sono para a saúde humana, que traz como tema "Dormir bem é envelhecer com saúde".  A médica Aline Scartatelli Bardini, especialista em medicina do sono do Centro Médico Unimed, diz que a campanha visa orientar as pessoas, durante toda a sua vida, quanto aos cuidados que se deve ter para a qualidade do sono.

A médica alerta que, as pessoas que são privadas do sono e que dormem mal, têm chances de desenvolverem alguns tipos de doenças. O problema pode desencadear em doenças do coração, diabetes e doenças neurológicas, além de falta de concentração, de memória, gerar mau humor e perda da qualidade de vida.

Pontua Aline Scartatelli que, dormir mal pode resultar em sonolência durante o dia, acidente de trabalho e de trânsito.  Então, segundo a médica, durante toda a vida, é preciso preservar o sono.  “É importante dormir o tempo de horas adequado que permita se ter uma qualidade de sono boa”, acentua.

Frisa que, a quantidade de horas de sono que cada um precisa dormir, varia ao longo da vida. “Um bebê precisa dormir muito, mais que uma pessoa adulta. Em média a maioria das pessoas necessita dormir em torno de 7 a 9 horas por noite. Quem dorme menos que isso acaba gerando complicações de sono crônico e resultando em prejuízos cognitivos, causando até mesmo depressão. Uma boa noite de sono é fundamental para ser um bom dia”, alerta.

DISTÚRBIOS

A médica Aline Scartatelli ressalta quanto à importância das pessoas se atentarem a respeito dos distúrbios do sono que são, entre os mais comuns, a insônia e a apneia do sono.

A insônia acontece quando se tem dificuldade para a pessoa iniciar o sono e para manter o sono, quando não se consegue dormir mais ou demora em sentir novamente o sono voltar. “Em todos os casos, a insônia tem que ser avaliada”, salienta. Segundo a médica do Centro Médico Unimed, existe tratamento para a insônia, não apenas com medicamentos, mas com terapias cognitivas. O objetivo destas terapias e, também dos remédios, é proporcionar boa qualidade de sono e de vida.

A apneia do sono tem como principal sintoma o ronco. Segundo doutora Aline, uma pessoa que sempre ronca, deve ficar atentar e procurar auxílio médico. A investigação médica, segundo ela, é saber se o paciente só tem ronco ou se tem apneia associada, isto vale tanto para crianças, adultos ou idosos. 

“Investigar estes distúrbios é fundamental para detectar os problemas e oferecer o melhor tratamento. Percebendo qualquer alteração de sono, o indicado é procurar um profissional médico e não deixar que o problema se agrave”, conclui.