Voltar

Agosto Dourado: Alimentação e Aleitamento

Agosto Dourado: Alimentação e Aleitamento

Agosto Dourado: Alimentação e Aleitamento

15 Agosto 2019

"Agosto Dourado" é o mês dedicado à intensificação das ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno. Por isso vamos falar sobre alimentação e aleitamento. Como sua alimentação pode contribuir no período da amamentação, além da alimentação do bebê, compreendendo o período exclusivo até a introdução alimentar. 

Conversamos com a nutricionista do Espaço Viver Bem da Unimed VSF, Anna Larissa Bernardes de Castro Dias, pós graduanda em nutrição clínica e ela nos esclarece algumas questões sobre esse período.

Acompanhe a entrevista:

 

Que tipo de alimentação a mãe deve ingerir no período de amamentação? 

Uma alimentação saudável, a base de frutas, verduras e legumes, tubérculos e raízes, grãos, proteínas e para hidratação e saciedade da sede: água.

 

Há alguma restrição?

As bebidas alcoólicas e cigarros podem comprometer o desenvolvimento neurológico do bebê, além de prejudicar a descida do leite materno e causar rejeição do bebê.

 

Alimentação da mãe pode influir na produção de leite? Como?

A produção do leite é um processo fisiológico, determinada pela ação hormonal desde a gestação. O alimento não tem influência na quantidade de leite materno, ela é intensificada quando o aleitamento materno ocorre de forma adequada, quanto mais o bebê mama, com a pega correta, maior produção de leite.

 

É verdade que a alimentação da mãe pode incidir sobre a qualidade do leite e por consequência pode provocar cólicas no bebê?

A origem da cólica do lactente pode ser multifatorial e um deles é a imaturidade do sistema gastrointestinal do bebê que reage na presença de substâncias alergênicas após a ingestão de alguns alimentos como chocolate, ovo, leite de vaca, amendoim, refrigerantes, entre outros.

 

Porque não se pode dar outro tipo de alimento nos seis primeiros meses do bebê? É o leite materno é o suficiente.

O leite materno é de fundamental importância para a saúde das crianças nos seis primeiros meses de vida, além de ser um alimento completo, que fornece inclusive água; é perfeitamente  adaptado  ao  metabolismo  da  criança. O leite materno tem um papel importante de proteção devido a quantidade de fatores imunológicos. Caso a mãe, por algum motivo, não possa amamentar, existe fórmulas lácteas específicas para bebê conforme a idade e necessidades de nutrientes, o nutricionista ou pediatra indicará a melhor para suprir o leite materno.

 

A partir do sexto mês, como a família deve iniciar a introdução alimentar do bebê?

Após o 6º mês o leite materno exclusivo pode ser complementado com a introdução alimentar, porém não deixando de ser importante até 1 ano de vida. Nessa fase a família tem um papel importante, pois para o bebê tudo é novo, a consistência, a forma de administração (colher), o processo de mastigação e deglutição, por isso os cuidadores devem ser pacientes e não desistir. A apresentação dos alimentos ao bebê deve ser lenta e gradativa, uma refeição por vez até chegar as 05 refeições ao dia. O nutricionista ou pediatra ajudará orientando os novos hábitos e necessidades respeitando os grupos de alimentos.

 

Qual a importância de um acompanhamento nutricional nesse período?

O  suporte   do   profissional   nutricionista   deve acontecer  no  processo  de  pré-natal, durante   o   parto, depois do nascimento   e   nos primeiros  anos  de  vida.  Orientando as mães sobre as vantagens da amamentação exclusiva, assegurando que seu leite é adequado e perfeito. Informando sobre a prática correta do aleitamento materno, que muitas substâncias que ela ingere passam para o leite, e   posteriormente para o lactente podendo causar desconforto gastrointestinal, e sobre o desmane e as técnicas corretas da alimentação complementar visando promover o crescimento e o desenvolvimento essencial da criança e aporte nutricional materno.

 

Mito ou verdade?

“Meu leite é fraco” – não existe leite fraco. Todas as mulheres produzem leite com a mesma composição nutricional, capaz de satisfazer as necessidades do recém-nascido nos primeiros 6 meses de vida. Nem sempre o choro do bebê é de fome. O choro é a única forma de comunicação. Seu choro pode significar frio ou calor, sono, cólica, fralda suja ou falta de carinho. Quanto mais a criança mama, maior a produção de leite.

 

Feijão, alguns alimentos tipo tomate pode provocar cólica no bebê se ingerido pela mãe?

O feijão tem em sua composição a substância fitato, responsável pelo desconforto gastrointestinal. O modo de preparo pode influenciar na diminuição dessa substância. O ideal é deixar o grão de molho em água de um dia para o outro, em seguida desprezar essa água, lavar o grão em água corrente e colocar para cozinhar com nova água. Os grãos são de extrema importância na nutrição materna, pois são ricos em proteínas vegetal, vitaminas e minerais como ferro.

 


Texto: Juciana Cavalcante - DRT 4547