Voltar

Unimed Vale do Sinos realiza ações para o mês do aleitamento materno

Unimed Vale do Sinos realiza ações para o mês do aleitamento materno

Unimed Vale do Sinos realiza ações para o mês do aleitamento materno

4 Setembro 2020

Cooperativa destaca a importância da amamentação e convida profissional a falar para clientes e comunidade

 

O mês de agosto é simbólico na promoção do aleitamento materno e, em 2020, em meio a uma pandemia, mudou o formato de promover esta data tão importante, mas não mudou o foco. Durante o mês, a Unimed Vale do Sinos realizou ações muito especiais em alusão à data, com o objetivo de falar sobre a importância do aleitamento materno.

 

No dia 3 de agosto, foi realizada uma live sobre o tema com a enfermeira referência em Orientação Puerperal, Ana de Souza. Nos vídeos, a profissional que também é responsável pela Oficina de Gestantes da cooperativa, esclarece diversas dúvidas e dá várias dicas sobre amamentação.

 

Segundo Ana, uma das grandes dúvidas é referente à preparação ao corpo da mulher para o aleitamento materno. “Será que que nascemos prontas pra isso?”, instiga a enfermeira. “Nosso corpo é biologicamente preparado para a amamentação e, conforme a gente vai se desenvolvendo, as nossas mamas vao acompanhando o desenvolvimento e a maturação completa ocorre durante a gestação”, explica. “Os hormônios movem muitas de nossas funções e na amamentação não é diferente”, completa Ana.

 

Enfermeira Ana de Souza durante live realizada
no Instagram da Unimed

 

Outra dúvida muito frequente é sobre a produção do leite. Será que a mãe vai produzir o suficiente para o bebê? Ana explica que a dúvida é geral, mas não há motivo para pânico: “A amamentação é um processo-reflexo e vai se desenvolvendo em decorrência da necessidade daquela criança”. Uma importante observação sobre o leite materno, é que ele é rico em anticorpos. “O leite materno é estudado desde a década de 70 e, ao longo dos anos, identificou-se que o primeiro leite que a mulher produz é rico em anticorpos e, a longo prazo, concluiu-se que, quem foi amantado por mais tempo, tem diversas vantagens em sua saúde”, completa.

 

Sobre a descida do leite materno, a enfermeira fala da importância do contato com o recém-nascido. “O que impacta mais é o contato pele a pele”, explica. “Isso ocorre quando o bebê nasce e a mãe coloca ele em contato com seu seio, com sua pele, o que acaba ativando questões hormonais e instintivas no bebê, fazendo ele mamar mais”, completa.

 

Para quem perdeu, a live está disponível no Instagram da Unimed Vale do Sinos. Clique aqui e assista.

 

Além da live, também foram realizadas a entrega de almofadas de amamentação às mamães que tiveram filhos no Hospital Unimed Vale do Sinos.

 

Ana ao lado das almofadas de amamentação

entregue às mamães