Voltar

Abordagem paliativa prioriza bem-estar do paciente

Abordagem paliativa prioriza bem-estar do paciente

Em outubro, é comemorado o Dia Mundial de Cuidados Paliativos

Abordagem paliativa prioriza bem-estar do paciente

Em outubro, é comemorado o Dia Mundial de Cuidados Paliativos

Assistência focada no acolhimento do paciente e seus familiares, com a premissa de promover o alívio da dor e sofrimento causados por uma enfermidade que ameaça a vida. Por meio desta conduta, o cuidado paliativo busca aprimorar a qualidade de vida ao longo do tratamento da doença crônica e evolutiva, desde o seu diagnóstico.

A Unimed Vitória participa da campanha mundial “Cuidados Paliativos: Porque eu Importo”, pela conscientização do acesso a este tipo de tratamento. E, em celebração ao Dia Mundial de Cuidados Paliativos (celebrado em 13/10 – a data é comemorada anualmente no segundo domingo de outubro), a cooperativa promoveu uma série de encontros referentes ao tema, entre os dias 5 e 10 deste mês.

Núcleo especializado

Atenta ao bem-estar e cuidado integral aos clientes, a cooperativa criou, neste ano, o Núcleo de Cuidados Paliativos e Terapia de Suporte do Hospital Unimed. Entre janeiro e junho, 184 pacientes foram atendidos pela equipe, que conta com quatro médicos, uma psicóloga e residentes em Medicina Paliativa.

A coordenadora do Núcleo de Cuidados Paliativos e Terapia de Suporte do Hospital Unimed, Waleska Cintra, explica que o tratamento oferece um cuidado único e compatível com a realidade do indivíduo. Também reforça que cuidado paliativo não é sinônimo de fim de vida, como muitos acreditam. Para isso, é fundamental que o acompanhamento seja iniciado precocemente, isto é, logo após o diagnóstico.

“O tratamento é focado em assegurar o bem-estar dos clientes e contribuir para melhoria da qualidade de vida, aliviando a dor e outros problemas que vão além do físico”, relatou. O cuidado integral e personalizado utilizado na Medicina Paliativa envolve as seguintes dimensões: física, social, psicológica e espiritual, de forma a compreender as reais necessidades dos pacientes e prestar apoio a toda família.

Saiba Mais

A Medicina Paliativa é reconhecida como área de atuação desde 2011. Porém, os estudos e atividades voltados à área já estavam em processo de desenvolvimento anteriormente, em especial a partir do ano 2000, com aumento do número de publicações científicas sobre o tema.

Inicialmente, o cuidado era voltado exclusivamente aos pacientes oncológicos, porém a ampliação dos estudos da área propiciou a abrangência do olhar sob o cuidado e seus benefícios para outras doenças: neurológicas, cardíacas, pulmonares, dentre outras.