Voltar

Campanha de multivacinação incentiva atualização de vacinas em crianças e adolescentes

Campanha de multivacinação incentiva atualização de vacinas em crianças e adolescentes

Cobertura vacinal no Brasil vem diminuindo desde 2015. Dia “D” está marcado para o dia 16 de outubro

Campanha de multivacinação incentiva atualização de vacinas em crianças e adolescentes

Cobertura vacinal no Brasil vem diminuindo desde 2015. Dia “D” está marcado para o dia 16 de outubro

6 Outubro 2021

Até o dia 29 deste mês, crianças e adolescentes de até 15 anos devem ser levados aos postos de saúde para colocar a carteira de vacinação em dia. O dia “D” da Campanha Nacional de Multivacinação será 16 de outubro. Cerca de 45 mil postos de vacinação, em todo o país, estarão abertos para disponibilizar as doses dos 18 agentes imunizantes que compõem o Calendário Nacional de Vacinação da criança e do adolescente.

Dentre as vacinas que estarão disponíveis estão: BCG, Hepatite A e B, Penta (DTP/Hib/Hep B), Pneumocócica 10 valente, VIP (Vacina Inativada Poliomielite), VRH (Vacina Rotavírus Humano), Meningocócica C (conjugada), VOP (Vacina Oral Poliomielite), Febre amarela, Tríplice viral (Sarampo, rubéola, caxumba), Tetraviral (Sarampo, rubéola, caxumba, varicela), DTP (tríplice bacteriana), Varicela e HPV quadrivalente (Papilomavírus Humano).

Segundo informações do Ministério da Saúde, a cobertura vacinal no Brasil vem diminuindo desde 2015, e com a pandemia o problema foi acentuado. A infectopediatra da Unimed Vitória Euzanete Coser salienta que não são somente as crianças e adolescentes que estão com as vacinas atrasadas, mas os adultos também. “Importante que os pais e responsáveis levem os filhos para vacinar e aproveitem para atualizar as próprias vacinas”.

A especialista reforça ainda que, mesmo vivendo numa pandemia, não se pode esquecer o quanto as vacinas são importantes para a proteção contra outras doenças além da Covid. “As vacinas são responsáveis pela queda nas taxas de infecção e mortalidade de várias doenças, que inclusive têm letalidade mais alta do que a Covid, como, por exemplo, o sarampo e a poliomielite. A gente não pode deixar que essas taxas de infecção aumentem”, alerta.

“Existem também vacinas do calendário extra, recomendadas pela Sociedade Brasileira de Pediatria e pela Sociedade Brasileira de Imunização, que podem dar um upgrade de proteção em algumas doenças como meningite e pneumonia. É um reforço importante para os pais e responsáveis que puderem fazer a complementação com esses imunizantes”. Todas as vacinas que integram o Programa Nacional de Imunizações (PNI), são seguras e estão registradas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).