Voltar

Sou doador(a) de órgãos e #QueFiqueDito

Sou doador(a) de órgãos e #QueFiqueDito

O Instituto Unimed Vitória convida a sociedade a uma reflexão sobre a doação de órgãos com a campanha #QueFiqueDito

Sou doador(a) de órgãos e #QueFiqueDito

O Instituto Unimed Vitória convida a sociedade a uma reflexão sobre a doação de órgãos com a campanha #QueFiqueDito

14 Setembro 2021

Pelo quarto ano consecutivo, o Instituto Unimed Vitória convida a sociedade a uma reflexão sobre a doação de órgãos com a campanha #QueFiqueDito. Com curadoria da designer Maria Sanz, a campanha traz como temática de 2021 a coragem. “Coragem... É quando a força de amor que sentimos por aquilo que genuinamente queremos é maior que a decepção que pode ser causada pelo seu insucesso. Ou, quando a vontade de realizar é maior que o próprio ego”, divaga a artista. 



Maria Sanz é designer e curadora da campanha
 

Para dar vida à campanha, que celebra o Dia Nacional da Doação de Órgãos – 27 de setembro, o Instituto buscou o talento de quatro tatuadores, que significaram em suas obras a coragem do ato de doar os órgãos. São eles: Ariana Margoto, de Colatina; Cássio Magne, de Vitória; Otávio Guimarães, de Cachoeiro de Itapemirim; e Salissa França, de São Mateus. Ação traz tatuagens autoadesivas como forma de estampar o desejo de salvar vidas.


No Brasil, o transplante só acontece com a autorização de um familiar do doador. Por essa razão, aqueles que têm o desejo de doar seus órgãos devem avisar a família. “A Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), divulgou que houve uma queda de 13%, no primeiro semestre de 2021, na taxa de doadores. Vidas poderiam ser salvas com a doação de coração, pulmão, fígado, pâncreas, rim, córnea, ossos, músculos e pele. Precisamos conscientizar cada vez mais pessoas para que essa realidade se transforme”, salienta o diretor-presidente da Unimed Vitória, Fernando Ronchi.

Por toda a vida

A tatuagem, assim como a doação de órgãos é uma decisão para toda a vida. De forma leve, a ideia é trazer para o dia a dia, estampada na pele – mesmo que numa tatuagem artificial – a vontade de ser doador e ajudar a quem precisa. Os desenhos escolhidos para essa edição da campanha #QueFiqueDito trazem opções delicadas que remetem à coragem e à liberdade de escolha.



 

A ação de distribuição das tatuagens adesivas começa nesta semana e vai até o dia 27 de setembro, quando se comemora o Dia Nacional da Doação de Órgãos. As Unimeds Sul Capixaba, Norte e Noroeste também participam da campanha. Vale dizer: Coração, pulmão, fígado, pâncreas, rim, córnea, ossos, músculos e pele podem ser doados pelos familiares previamente autorizados. Podem receber os órgãos e ou tecidos doados aqueles que estiverem na lista de espera gerenciada pela Central de Transplantes do Espírito Santo, e forem compatíveis com o doador.

A Lei que dispõe sobre a remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para fins de transplante é a Lei 9.434, de 04 de fevereiro de 1997, posteriormente alterada pela Lei nº. 10.211, de 23 de março de 2001, que substituiu a doação presumida pelo consentimento informado do desejo de doar. Por isso, informe sua família sobre o seu desejo de se tornar um doador.