Voltar

Professor Anselmo sofre acidente de percurso e pausa projeto CorreES para fazer uma cirurgia

Professor Anselmo sofre acidente de percurso e pausa projeto CorreES para fazer uma cirurgia

Maratonista, que já passou por 45 cidades do Estado, garante que retorna ainda este ano para finalizar o trajeto a partir de São Roque do Canaã

Professor Anselmo sofre acidente de percurso e pausa projeto CorreES para fazer uma cirurgia

Maratonista, que já passou por 45 cidades do Estado, garante que retorna ainda este ano para finalizar o trajeto a partir de São Roque do Canaã

7 Outubro 2021

Depois de correr cerca de 1.265 km e passar por 45 municípios do Estado, o maratonista amador e professor aposentado de educação física da Ufes Anselmo Perez sofreu um acidente de percurso e vai precisar pausar o projeto CorreES. Uma queda no decorrer do trajeto para a São Roque do Canaã causou uma fratura no punho direito do corredor, que terá que passar por uma cirurgia.

Iniciado em 9 de agosto, o projeto CorreES, que prevê uma corrida por todos os municípios do Espírito Santo, ainda vai passar por 33 cidades e aproximadamente 1.200 km. “Ainda não sabemos ao certo quanto tempo vai durar a recuperação, mas quero terminar o projeto ainda este ano. Não vou deixar passar, não!”, garante Anselmo. O CorreES tem apoio do Instituto Unimed Vitória.

Com experiência de mais de 20 anos de treinamento em corrida e participação em diversas provas, incluindo mais de 20 maratonas, Perez irá percorrer, ao todo, cerca de 2.500 km. A retomada do projeto será feita em data ainda não definida, a partir de São Roque do Canaã para Baixo Guandu.

Saúde e meio ambiente

Ao fazer um balanço do projeto até agora, Anselmo só tem a comemorar. Ao lado da esposa, que também é professora de educação física e tem dado todo o suporte de carro durante o percurso, o corredor revela que a recepção nos municípios tem sido a melhor possível. O professor tem aproveitado para visitar escolas e fazer palestras educativas sobre a importância da atividade física e a proteção ao meio ambiente.

“Está sendo uma realização, graças a todo o apoio que temos recebido por onde passamos. Estamos atingindo o objetivo do projeto. A felicidade maior é saber que as pessoas estão aderindo às causas do não sedentarismo e da educação ecológica. Parece que a sementinha que a gente está plantando em cada município tem solo fértil para ser germinado”, comemora. O corredor salienta ainda que o projeto tem dado a oportunidade de ver de perto a importância da agricultura familiar e da presença dos jovens no campo.

Em relação à preservação do meio ambiente, o professor relata que tem visto muita sujeira nas estradas. “Se eu fosse fotografar todas as garrafas, latinhas, embalagens de biscoito e garrafas de vidro jogadas pelo caminho, teria registrado toneladas de lixo. A gente chegou a ver muita sujeira até em cachoeiras. A população precisa se conscientizar”. Por outro lado, Kamilla destaca um exemplo de cidade limpa que chamou atenção: Laranja da Terra. Segundo ela, por lá os próprios moradores ajudam a cuidar do município, e varrem a rua e suas calçadas constantemente.

Anselmo avalia que os pontos turísticos também poderiam ser mais bem sinalizados. “Acho que há muita coisa a ser explorada turisticamente no Estado. As prefeituras poderiam colocar mais placas sinalizando os locais turísticos para receber mais visitantes”, pontua. Para conferir paisagens do trajeto, vídeos e lives, basta acompanhar o perfil do @corre.es no Instagram.