Voltar

Variante ômicron chega ao Brasil e acende alerta para que cuidados contra a Covid continuem

Variante ômicron chega ao Brasil e acende alerta para que cuidados contra a Covid continuem

OMS investiga causas da alta velocidade de propagação da nova variante em todo o mundo

Variante ômicron chega ao Brasil e acende alerta para que cuidados contra a Covid continuem

OMS investiga causas da alta velocidade de propagação da nova variante em todo o mundo

1º Dezembro 2021

Com a confirmação de três resultados positivos para a variante ômicron (nome da 15ª letra do alfabeto grego) em São Paulo, cresce a preocupação com uma nova onda de Covid no mundo. “No dia 26 de novembro, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a ômicron como variante de preocupação, o que quer dizer que a mutação no vírus confere a essa variante uma capacidade maior de transmissibilidade, maior violência ou dificuldade de contenção”, explica a infectologista da Unimed Vitória Ana Carolina D’Ettorres.

O alerta da OMS surtiu efeito e muitos países estão cancelando eventos públicos de Ano Novo, Carnaval e tomando medidas mais restritivas contra a variante. A especialista reforça que as medidas preventivas devem continuar. “Os cuidados são os mesmos: uso de máscara, distanciamento social. Essa variante já tem sido identificada em outras partes do mundo, o que se torna realmente um sinal de alerta para que não se perca o controle da situação em que estamos”.

Segundo a infectologista, aparentemente, pelo que tem sido visto até agora, a ômicron tem uma velocidade de transmissão maior. “Estudos ainda precisam ser feitos, no entanto, o fato de a África do Sul ter baixa cobertura vacinal, somente 24% da população tem a vacinação completa, pode ser uma razão de o ambiente ter uma capacidade de disseminação mais alta. A OMS está investigando se essa velocidade de propagação se deve ao relaxamento nas medidas contra a Covid, sobrecarga do sistema de saúde ou à característica da variante”.

Vacinas

A nova variante ainda está sendo analisada por cientistas e os dados estão em fase de levantamento. Pfizer, Janssen, Moderna e AstraZeneca, farmacêuticas que possuem vacina desenvolvida contra a Covid-19 e suas variantes, já anunciaram que estão pesquisando formas de adaptar esses imunizantes e entender a eficácia contra a nova cepa.

Ana Carolina reforça que a vacinação é fundamental nesse controle e em países com baixa cobertura vacinal a propagação de novas variantes é um risco, a exemplo da Europa que está vivendo uma quarta onda da Covid. “Importante nesse momento reforçar as medidas epidemiológicas de contenção de disseminação dessa nova variante. Estamos todos em alerta, visto que esse momento lembra muito o início da pandemia, quando tudo começou em Wuhan, na China, e parecia muito distante. Vimos como foi a velocidade de propagação da Covid-19. Então, o surgimento dessa nova variante exige bastante cautela, atenção e reforço, além do estímulo a vacinação em massa e as medidas protetivas contra todas as situações de risco que já conhecemos bem”.