Cobertura de Eventos
  • 15/11/19

    Os participantes encerraram a programação técnica de mais uma Missão Internacional. Esse ano, no Reino Unido, as visitas foram intensas e de muito aprendizado. Foi um grupo interessado, que questionou e debateu em todos lugares. Uma coisa é certa: cada um volta para casa com a certeza de dever cumprido.


    Encerramento
  • 15/11/19

    A última visita do grupo foi ao Wansbeck General Hospital. Na unidade há 19 leitos para pacientes em estágio terminal ou que precisam de cuidados paliativos e uma área para recuperação dos pacientes que sofreram AVC. Também, para encerrar o dia, os participantes puderam conhecer a clínica de simulação. O local, que é conhecido como Dash (Dinwoodie Assessment and Simulation Hub), costumava funcionar como expansão do hospital, mas foi transformado para estudos e simulados. Aqui, há muita tecnologia e manequins que imitam os sintomas da vida real.


    Wansbeck General Hospital
  • 15/11/19

    A segunda visita do dia foi ao Foundry House. Com foco social, o ambiente integra, desde 2010, serviço de assistência para adultos, crianças e polícia com chamadas de ajuda à população. São, em média 50.000 chamadas por mês solicitando serviço ou requisitando amparo. Além disso, o centro conta com o Telecare, equipamentos que monitoram cerca de 3500 pacientes em suas residências para conter, por exemplo, o risco de queda ou lembrá-los de tomar o medicamento.


    Foundry House
  • 15/11/19

    Hoje a Missão Internacional chega ao último dia de programação técnica. Dando sequência à visita aos hospitais de Northumbria, o grupo conheceu o North Tyneside General Hospital, que possui, além de seis alas com média de 150 leitos, centro de urgência, radiologia digital e outros cuidados com pacientes, uma unidade de saúde mental, conhecida como clínica da memória e centro de diabetes.


    North Tyneside General Hospital
  • 14/11/19

    Visita ao Hexham General Hospital, que não tem sistema de emergência, mas de urgência. O atendimento é feito somente por enfermeiras. O local também tem uma maternidade, que assiste cerca de 70 partos por ano.


    Hexham General Hospital

‘Programa de Empatia’: gestores vivem experiências no lugar de colaboradores

Coordenadores e superintendentes assumiram atividades de outras áreas

‘Programa de Empatia’: gestores vivem experiências no lugar de colaboradores

Coordenadores e superintendentes assumiram atividades de outras áreas

23 Janeiro 2020

Para proporcionar aos gestores a experiência de como é o dia a dia em outras áreas, a Central Nacional Unimed criou o “Programa de Empatia”. O primeiro dia da nova ação foi realizado na terça-feira (21), na Alameda Santos. Hoje, foi a vez de mudar a rotina do quadro da Central de Atendimento, no Tatuapé. 

Na sede da cooperativa nacional, o superintendente de Produtos e Marketing, Stélio Belchior, ocupou as funções das secretárias, no núcleo da Diretoria Executiva. Entre as atividades sob responsabilidade dele estavam: o atendimento telefônico, a assinatura de documentos e o agendamento de reuniões.

Já Roberta Moreira, de Contas Médicas, auxiliou a equipe de Produtos em mapeamentos de rede, solicitações de credenciamento e ocorrências de rede. Coordenadora da equipe de eventos, Fernanda Cestari recebeu Alessandra Aragaki, da equipe de Gestão de Riscos e Controles Internos, para o compartilhamento de suas respectivas demandas.

"Foi um privilégio participar. Entender e vivenciar a complexidade das atividades da Fernanda e da equipe de eventos me fez valorizar ainda mais o trabalho deles. Nós, de outras áreas, não temos a menor ideia da quantidade de atividades, horas, dificuldades e pessoas envolvidas para que o resultado saia conforme o esperado”, disse Alessandra. “O ‘Programa de Empatia’ é um excelente exercício para nos colocarmos no lugar do outro e nos despir de julgamentos e ‘pré-conceitos’. Além de ser gratificante e, de certa forma, até libertador, ajuda a promover a união entre as equipes”, completou.

Nesta quinta-feira (23), Alexandre Ruschi, presidente da Central Nacional Unimed, assumiu as funções dos colaboradores do BackOffice, no Tatuapé. Superintendente de Rede, Diécson Raupp integrou a equipe de Atendimento e Autorização. Ambos atenderam aos telefonemas e conversaram com beneficiários finais.

"Eu tive a oportunidade de interagir com nossos beneficiários, ver nossa rotina de atendimento e perceber melhorias que podemos incorporar. Estou muito satisfeito, pois estive com um time de craques, pessoas muito bem preparadas. Pude entender que estamos no caminho certo", disse Ruschi. "Essa iniciativa foi muito importante para compartilhar com as áreas, interagindo mais e entender melhor para propor melhorias", completou.

As superintendentes de Comunicação, Eventos e Sustentabilidade, Katia Okumura, e de Pessoas, Rosi Franco, estão na equipe de Atendimento Presencial. Com a ajuda da supervisora Cláudia Pessoa, elas recebem clientes para tirar dúvidas e resolver solicitações. A superintendente de Operações, Renata Loures, ficou em Contas Médicas no lugar da analista Juliana Harumi Ionea.