Perguntas Frequentes

Disponibilizamos a você uma relação de informações sobre o plano de saúde da Unimed Inconfidentes. O objetivo é compartilhar informações para que seu plano de saúde Unimed lhe ofereça o máximo de tranquilidade e segurança.

Plano de Saúde

É um contrato individual ou coletivo que garante a prestação de serviços médicos e odontológicos para assistência à saúde, por tempo indeterminado e sem teto máximo, conforme contratado pelo segurado ou empresa.

Os planos de saúde no Brasil são regulamentados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Carência é o período em que o consumidor espera para conseguir, obter e receber, algumas coberturas após a contratação do plano. Os
períodos de carências são contados a partir da vigência do contrato. Depois de cumprida a carência, o consumidor ter para acesso a todos 
os procedimentos previstos em seu contrato e na legislação.                                                                                                                                                        Consultas e

Exames básicos: 30 dias
Casos de urgência e emergência: 24 horas
Partos: 300 dias
*Doenças e lesões preexistentes: 24 meses 
Demais situações: 180 dias 
(Exames especiais, terapias, internações clínicas e cirúrgicas, e atendimentos ambulatoriais)

Atendimento de emergência: São os que implicam em risco imediato de morte, causadores de lesões irreparáveis para o paciente, constatado em declaração do médico assistente.

Atendimento de urgência: são os resultantes de acidentes pessoais decorrentes de fatores externos que causam lesão física não decorrente de problema de saúde e as complicações no processo gestacional.

É a declaração que o cliente deverá preencher obrigatoriamente antes de sua adesão ao Plano de Saúde onde deverá constar as condições gerais de sua saúde e seus dependentes, ou seja, se há alguma doença ou lesão pré-existente antes da data de inclusão no plano.
Caracteriza-sepor um período de até 24 meses, estabelecido em contrato, durante o qual o consumidor não terá cobertura para aquelas doença se lesões preexistentes declaradas. Neste período, pode haver exclusão da cobertura de eventos cirúrgicos, leitos de alta tecnologia e procedimentos de alta complexidade relacionados diretamente às doenças ou lesões preexistentes.  Após os 24 meses, será integral a cobertura prevista na legislação e no contrato.
É toda enfermidade ou evento mórbido, congênito ou adquirido, que comprometa a função orgânica ou coloque em risco a saúde do indivíduo, quer por sua ação direta ou indire- tamente por suas consequências, do qual o cliente ou responsável saiba ser portador, sofredor, ou seja, tenha conhecimento ou recebido tratamento clínico ou cirúrgico, antes da data de inclusão no plano.
O plano considerado individual é aquele contratado diretamente por uma pessoa física junto à operadora. Os membros da família podem participar do plano como dependentes, conforme definido no contrato.

Existem dois tipos de planos coletivos: 

  • Empresariais: que prestam assistência à saúde dos funcionários da empresa contratante, mediante comprovação do vículo empregatício ou estatutário; 

  • Coletivos por adesão: são contratados por pessoas jurídicas de caráter profissional, classista ou setorial, como conselhos, sindictos e associações profissionais.

Instituído pela Lei 9656/98 como padrão da assitência médico-hospitalar e que obrigatóriamente , deve ser oferecido aos clientes. Ele abrange o atendimento em todos os consultórios e internação em padrão enfermaria, com direito a parto, a UTI e a todos os exames e tratamentos necessários para diagnosticar ou tratar o problema de saúde, previstos no Rol de Procedimentos médicos instituídos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS.

Beneficiário de plano privado de assistência à saúde: é a pessoa natural, titular ou dependente, que possui direitos e deveres definidos em legislação e em contrato assinado com operadora de plano privado de assistência à saúde, para garantia da assistência médico-hospitalar ou odontológica, sendo, no cadastro de beneficiários da operadora na ANS, classificado como:

  • Beneficiário titular: é o beneficiário de plano privado de assistência à saúde cujocontrato o caracteriza como detentor principal do vinculo contratual com uma operadora;

  • Beneficiário dependente: é o beneficiário de plano privado de assistência à saúde cujo vínculo contratual com a operadora depende da existência de relação de dependência ou de agregado a um beneficiário titular.

  • Beneficiário ativo: é o beneficiário de plano privado de assistência à saúde cujo contrato do respectivo plano está em vigor.

  • Beneficiário inativo: é o beneficiário de plano privado de assitência à saúde cujo contrato de respectivo plano não está em vigor.

Um dos maiores desafios para o setor de saúde é a inflação médica, que em todo o mundo é muito superior à inflação que mede os demais preços da economia. Insumos, medicamentos, materiais, equipamentos, diárias em clínicas e hospitais sofrem reajustes que impactam a precificação das mensalidades. Outros fatores como o aumento da utilização do plano e a incorporação de novas tecnologias, por vezes mais caras que as existentes, também influenciam no custo dos planos.
 
Como se sabe, a probabilidade de internações e longos tratamentos, cada vez mais caros, é bem maior em idosos. Com isso, sobem também as despesas, que impactam as mensalidades. Fonte: Plano de Saúde: O que Saber (FenaSaúde); p.11
As mensalidades são estabelecidas de acordo com a faixa etária em que cada associado inscrito esteja enquadrado. Ocorrendo alteração na idade de qualquer dos associados que importe em deslocamento para a faixa etária superior, a contraprestação pecuniária será aumentada automaticamente, no mês seguinte ao do aniversário do associado.
  • Contratos de planos individual / familiar:  A Agência Nacional de Saúde - ANS define anualmente o índice autorizado para reajuste dos planos médico-hospitalares contratados posteriormente à Lei nº 9656/98. Mesmo após essa definição, as operadoras só podem aplicar esse reajuste após avaliação e autorização expressa da Agência.

  • Contratos coletivos: Os reajustes não são definidos pela ANS. Nesses casos, a Agência apenas acompanha os aumentos de preços. Eles são reajustados através de livre negociação entre a operadora do plano de saúde e o representante do grupo contratante (empresa, fundação ou associação), conforme descrito em clausula contratual. Nos planos de saúde coletivos empresariais regulamentados e coletivos empresariais adaptados com menos de 30 beneficiários que se enquadram na resolução normativa 309, os reajustes não são definidos pela ANS: A RN 309 trata do agrupamento de contratos para fins de reajuste. O agrupamento dos contratos é destinado aos planos que possuam, na data de aniversário do contrato, menos de trinta beneficiários e tem por objetivo promover a distribuição entre o grupo do risco inerente a cada plano. O índice de reajuste aplicado a todos estes contratos deverá ser divulgado pela própria operadora em seu site na internet no mês de maio de cada ano, ficando vigente até abril do ano seguinte e podendo ser aplicado a cada contrato nos seus respectivos meses de aniversário.

Não. Cada Unimed possui sua tabela de comercialização de plano, tendo em vista que para cada Unimed há uma administração independente