Perguntas Frequentes

Sim, um tempo de jejum muito prolongado (superior a 14 horas) também causa variações nos exames.
Alguns sim. Os antibióticos e os anti-inflamatórios, por exemplo, interferem nos testes de coagulação do sangue, normalmente solicitados em pré-operatórios. Portanto, quaisquer que sejam os medicamentos que esteja tomando, avise o atendente antes do exame.

Não. Somente o médico pode orientar se há necessidade de suspensão da medicação antes da coleta. Informe ao Laboratório seus medicamentos em uso.

Sim, pois o sangue menstrual pode misturar-se a urina. O ideal é fazê-lo fora do período menstrual.

Sim. Alguns exames coletados após a prática de exercícios físicos podem apresentar resultados maiores que os índices basais.

Sim, especialmente o de triglicerídeos. Pequenas doses de bebidas alcoólicas são suficientes para elevar os seus níveis, mascarando os resultados. Por isso, o ideal é antes da coleta do exame ficar três dias sem ingerir qualquer bebida alcoólica.

Você deve manter a sua dieta habitual, ou seja, o que você costuma comer, nos dias que antecedem os exames. É fundamental jejum de 12 horas para a coleta do sangue.

Não, mas convém toma-la com moderação.

Isso se chama hematoma: extravasamento se sangue para fora da veia, que eventualmente pode ocorrer no local da punção para coleta de sangue. Ele pode ocorrer em determinadas situações, tais como: veias finas ou muito profundas, delicadas, com muita pressão; falta de boa compressão no local de punção; em pacientes que estão em uso de medicamento que altere a coagulação; e em idosos (fragilidade vascular). Cuidados após a coleta podem evitar o aparecimento de hematomas. Não dobrar o braço, usar blusas com mangas mais frouxas e evitas carregar peso (ex: bolsas e sacolas) reduzem a probabilidade de hematomas. Se ocorrer o hematoma, é importante informar o ocorrido ao Laboratório. Realizar compressa de água morna no local comprometido, várias vezes ao dia, para ajudar a reabsorção do sangue extravasado. Após reabsorção, o local voltará ao normal.

A solicitação médica mais comum para exame de urina é a urina de porção intermediária. Quando se está preocupado com uma possível infecção urinária, é importante que o material examinado não seja “contaminado” com o que estiver na uretra. Daí a necessidade de desprezar o primeiro jato e coletar o jato médio, ou seja, uma urina que representa bem o material que está na bexiga.

A sensação de mal estar durante a coleta pode estar relacionada com uma queda de pressão ocasional, jejum prolongado ou stress. Neste casos, para evitar ou minimizar esta sensação, realizamos a coleta em paciente na posição deitada. Basta informar, no momento do atendimento, que o paciente prefere colher sangue deitado ou que se sente mal na coleta.

Caso o médico não solicite a coleta do 1º jato, devemos desprezá – lo porque ele traz células, secreção e algumas bactérias da flora urogenital, que podem estar presentes normalmente na uretra.

Para excluir qualquer interferente, é importante que o material colhido não esteja “contaminado” com o que estiver na uretra ou na região urogenital.
Daí a importância de fazer uma boa higienização na parte externa, antes da coleta. Lembramos que o enxague abundante é importante para eliminar todo sabão utilizado na higienização, evitando também interferências.

Sim. Desde que não deixe misturar estes medicamentos ao material de urina. Uma boa higiene para retirar resíduos do medicamento e uso de tampão no momento da coleta impedem a “contaminação” do material colhido para exame.