Voltar

Atividade física na terceira idade

Atividade física na terceira idade

Os benefícios dos exercícios físicos na terceira idade são muitos. Conheça alguns deles e como praticar com segurança

Atividade física na terceira idade

22 Outubro 2018

 

O brasileiro está vivendo mais. A expectativa de vida no Brasil chegou a 76 anos, de acordo com a projeção de 2018 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e o maior desafio das atuais gerações é alcançar a longevidade com qualidade de vida. Porque, para viver muito, é preciso viver bem! Uma série de hábitos positivos pode colaborar para uma terceira idade saudável, e um deles é a prática regular de atividades físicas.

Movimentar o corpo pode auxiliar na prevenção ou tratamento de males como a depressão, diabetes, osteoporose e doenças cardíacas, além de contribuir pela melhora na qualidade de vida. Na terceira idade, em especial, quando a mobilidade e a força muscular ficam comprometidas, praticar exercícios ajuda a melhorar a resistência física e a disposição para atividades do dia a dia, além de gerar mais confiança e independência.

A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) recomenda que a prática de exercícios físicos esteja na rotina de pessoas de qualquer idade, uma vez que os exercícios vão se refletir na qualidade de vida e no envelhecimento ativo. E vale lembrar que os benefícios não são apenas físicos, mas também psicológicos e sociais, uma vez que também podem influenciar na autoestima do idoso.

 

 

Os principais benefícios da prática de atividades físicas na terceira idade

  1. Melhora do condicionamento físico e disposição

  2. Melhora da qualidade do sono

  3. Diminuição da ansiedade e do estresse

  4. Ampliação do contato social

  5. Controle do peso

  6. Melhora na mobilidade e no equilíbrio

  7. Melhora no controle da pressão arterial

  8. Preservação dos ossos e articulações

  9. Melhora dos quadros de dor em geral

  10. Promoção da independência e autonomia

 

 

As atividades mais recomendadas

São muitas as opções de exercícios físicos sugeridas para a terceira idade. A orientação de um médico é indicada antes de iniciar algum tipo de esporte, permitindo direcionar para a prática mais segura e eficaz, de acordo com as aptidões de cada idoso.

 

Caminhada
Descrita por muitos como o exercício perfeito, pela facilidade de executar e seus benefícios, a caminhada ajuda a prevenir problemas como a obesidade, fortalece ossos e articulações, melhora a circulação sanguínea, capacidade cardíaca e pressão arterial. A SBGG recomenda a caminhada (passos rápidos) entre 30 minutos e uma hora por dia.

 

 

Atividades aquáticas
Exercícios físicos na água, como natação e hidroginástica, e realizados com a orientação de um profissional, propiciam o fortalecimento dos músculos e melhoram a saúde cardiovascular e respiratória, e têm como vantagem o impacto reduzido pela água. Também podem diminuir o estresse nas articulações.

 

 

Dança
Além de muito prazerosa, a dança permite o exercício de vários grupos musculares e propicia benefícios na agilidade, coordenação motora e equilíbrio. A prática também pode estimular o convívio social, promovendo a interação com outras pessoas e se refletindo na autoestima do idoso. Vale ir em festas, bailes, aulas de dança ou até dançar em casa mesmo!

 

 

Alongamento
Os exercícios de alongamento também aparecem como opções simples e eficazes para melhorar a capacidade funcional e a qualidade de vida dos idosos. Uma vertente é o pilates, método que já conquistou a terceira idade, por trabalhar o corpo com movimentos desse tipo. A atividade contribui para a flexibilidade, o equilíbrio e o fortalecimento da musculatura. Pode ser feito em estúdios específicos para a prática e alguns exercícios podem ser realizados em casa, sob a supervisão de um profissional capacitado.

 

 

Musculação
Associar exercícios aeróbicos com exercícios resistidos (musculação) também contribui positivamente para a saúde. A musculação ajudar a aumentar a força muscular e o desempenho físico geral, e como consequência, previne o avanço de limitações funcionais e ainda contribui para o alívio de dores crônicas, como a artrite. O treino ideal para cada indivíduo se exercitar com segurança, adaptado a suas possíveis limitações, pode ser desenvolvido e acompanhado por um profissional de educação física.

 

 


Texto: Jailde Barreto | Thaís Guimarães / Design: Alex Mendes

Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte e Ministério da Saúde

Conteúdo aprovado pelo responsável técnico-científico do Portal Unimed.


Média (1 Votar)
Avaliar:

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em