Voltar

Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)

Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)

Responda a este quiz, tire suas dúvidas sobre doenças e infecções e esteja mais protegido contra as IST

Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)

28 Novembro 2018

Causadas por vírus, bactérias e outros microrganismos, as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) são um grave problema de saúde pública. Hoje em dia, os tratamentos já permitem curar ou controlar muitos desses males, porém, a principal maneira de combatê-los segue sendo a prevenção.

Entre as IST, a mais conhecida é o HIV, causador da aids. Em 1º de dezembro é celebrado o Dia Mundial de Combate à Aids — a data destaca o esforço mundial na luta contra a doença e reforça a importância da prevenção, que se aplica a essa e outras infecções.

Além do HIV, as IST mais conhecidas são sífilis, gonorreia, clamídia, herpes genital, HPV (papilomavírus humano) e hepatites virais, mas há uma grande variedade de doenças que podem ser transmitidas pelo sexo.

Usar camisinha é primordial na prevenção às IST, e a informação é outro importante aliado.

Responda a este quiz e tire suas dúvidas. O conhecimento acerca dessas infecções ajuda a mantê-lo mais protegido.

1 - É possível estar com uma IST e não apresentar sintoma.

Informação adicional:
As IST podem se manifestar por meio de feridas, corrimentos ou verrugas na região genital, entre outros sinais e sintomas específicos de algumas infecções. Algumas IST, no entanto, podem não apresentar sintomas aparentes, como é o caso do HPV. Até por esse motivo, o Ministério da Saúde, em consonância com a Organização Mundial da Saúde (OMS), deixou de utilizar a nomenclatura Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), uma vez doença pressupõe a manifestação de sinais ou sintomas.

2 - A única forma de contrair IST é pelo ato sexual.

Informação adicional:
As IST são transmitidas principalmente pelo contato sexual (oral, vaginal, anal), sem uso de preservativo, com uma pessoa infectada. Porém, as hepatites e o HIV também podem ser transmitidos por transfusão de sangue contaminado ou outra transmissão sanguínea (compartilhando seringas, lâminas, agulhas, alicates ou outros objetos que furam/cortam não esterilizados).

3 - Grávidas infectadas podem transmitir IST para seus bebês.

Informação adicional:
Infecções como HIV, sífilis e hepatite B também podem ser transmitidas da mãe para o bebê durante a gestação ou no parto, e ainda na amamentação, no caso do HIV. Por isso, tanto as grávidas como seus parceiros devem realizar os testes para esses vírus. Se diagnosticada, a grávida recebe tratamento ao longo da gestação para garantir o nascimento saudável do bebê e prevenir a transmissão do vírus.O recém-nascido também deve receber acompanhamento de saúde.

4 - Pílula anticoncepcional previne Infecções Sexualmente Transmissíveis.

Informação adicional:
O anticoncepcional é um método contraceptivo que evita a gravidez e promove o controle hormonal, mas não evita que as IST sejam transmitidas durante o sexo sem preservativo. Para garantir a proteção contra infecções, é necessário uso de camisinha durante as relações sexuais.

5 - Ter HIV é a mesma coisa que ter Aids.

Informação adicional:
HIV é a sigla em inglês para o vírus da imunodeficiência humana, que ataca o sistema imunológico e é o causador da aids. Muitos soropositivos (portadores de HIV) podem não desenvolver a doença. Porém, podem transmitir o vírus para outras pessoas.

6 - A infecção por HIV pode ser confirmada em um teste de 30 minutos.

Informação adicional:
Além dos exames laboratoriais, os testes rápidos também são eficazes para diagnosticar a infecção por HIV, detectando os anticorpos que atuam contra o vírus em cerca de 30 minutos. No entanto, existe um período entre a infecção e o tempo que o organismo leva para produzir esses anticorpos em quantidade suficiente para serem detectados no teste. Esse período é chamado de janela imunológica. Por isso, é recomendado que o teste seja realizado 30 dias após a suspeita de contágio, do contrário, pode apresentar um falso negativo.

7 - É possível evitar que o HIV se instale no organismo após a exposição ao vírus.

Informação adicional:
A chamada Profilaxia Pós-Exposição (PEP) consiste no uso de medicamentos antirretrovirais por pessoas com suspeita de terem sido expostas ao vírus, em situações como violência sexual ou acidente ocupacional em que há contato direto com material biológico, por exemplo. Mas, para funcionar, a PEP deve ser iniciada preferencialmente nas primeiras duas horas e no máximo em até 72 após a exposição ao risco, e realizada corretamente por 28 dias seguidos.

8 - Soropositivos podem levar uma vida saudável.

Informação adicional:
A infecção pelo HIV não tem cura, mas pode ser controlada por meio do tratamento com medicamentos antirretrovirais. A terapia, que deve ser mantida ao longo da vida, controla a replicação do vírus no organismo e permite que o sistema imunológico do paciente seja capaz de combater infecções. Desde 1996, esses medicamentos são disponibilizados gratuitamente no Brasil.

Fim do teste

Você acertou das questões
Clique no botão abaixo para refazer o teste.

Texto: Thaís Guimarães de Lima / Design: Alex Mendes

Fonte: Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúde (OMS) e Sociedade Beneficente Israelita Albert Einstein

Conteúdo aprovado pelo responsável técnico-científico do Portal Unimed.


Média (5 Votos)

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em