Voltar

Perda de peso e apetite em pacientes com câncer

Perda de peso e apetite em pacientes com câncer

Alimentos calóricos e ricos em proteínas são importantes porque auxiliam o paciente tanto na luta contra a doença quanto no bem-estar

Perda de peso e apetite em pacientes com câncer

25 Agosto 2017
 

Pacientes portadores de câncer costumam perder peso e apetite em função da doença e são várias as razões para isso:

• As células cancerosas multiplicam-se em grande intensidade e isto aumenta significativamente o consumo de calorias e substâncias que seriam utilizadas no metabolismo normal do indivíduo, assim como na formação ou reposição de células normais do corpo

• Dor, desânimo, tristeza, medo, estados depressivos, frequentemente presentes nesses casos, podem diminuir o apetite do paciente

• Falta de atividade física, em virtude de períodos de repouso, ou de incapacidade para realizá-las, também contribuem para o menor interesse pela alimentação

• Tratamentos do câncer, como a quimioterapia e a radioterapia, podem tornar difícil o hábito de se alimentar, em virtude da maior ocorrência de vômitos, diarreia, lesões na boca, sensação de cansaço e alterações no paladar e olfato

 

Por outro lado, sabemos que para uma melhor resposta ao tratamento, é importante que o paciente alimente-se bem, que tenha energia e matéria-prima necessárias para lutar contra a doença e para sentir-se melhor e, também, para despertar nele sensações agradáveis que a alimentação proporciona, inclusive nas reuniões com amigos e familiares.

 

Os alimentos mais calóricos e ricos em proteínas são os mais indicados para manter ou recuperar o peso. Incentive a ingestão de:

 

 

• Ovos, peixes, frango, carne vermelha magra 

• Iogurtes, sorvetes, cremes à base de leite, pudins

• Sopas espessas

• Amendoim, avelãs, nozes, castanhas, frutas secas, granola

• Suplementos alimentares indicados pelo médico e nutricionista

 

Os princípios da alimentação saudável devem ser reforçados nos pacientes portadores de câncer

• Cinco a seis refeições equilibradas e não excessivas por dia e não duas ou três refeições pesadas

• Barras de cereais ou alimentos já citados anteriormente no intervalos das refeições caso sinta forme

• Pratos enriquecidos com manteiga, óleos, leite ou cremes

• Líquidos, preferencialmente, entre as refeições e não durante elas

• Pratos que atraiam pelo sabor e aroma

• Refeições como um meio de encontrar outras pessoas, amigos ou familiares

• Alimentos pré-prontos, para facilitar o acesso nos momentos em que a fome bater à porta e que outras pessoas não possam estar disponíveis para preparar uma refeição

• Ter alguém que ajude na compra e no preparo dos alimentos

• Caminhadas curtas durante o dia para melhorar o ânimo e o interesse pela vida, além de despertar o apetite

• Suplementação vitamínica ou de nutrientes, a conselho médico ou de nutricionista

 

Tente contornar problemas associados aos tratamentos conversando com médicos e nutricionistas, mas já considerando:

• Se houver sensação de boca seca, dar preferência a alimentos mais úmidos, evitando os secos e duros

• Na presença de lesões na boca, cortar o alimento em porções menores, triturá-los em um processador, ingerir os mais macios, mastigá-los lenta e suavemente, dando preferência àqueles não muito condimentados e não muito salgados 

• Evitar os muito gordurosos que possam causar náuseas

• O aumento da ingestão de líquidos, fibras, vegetais, sementes e frutas facilita o hábito intestinal, o que é importante para o equilíbrio do organismo


Sinais de alarme

• Impossibilidade de retenção de alimentos no estômago (vômitos)

• Muitas dores abdominais

• Fraqueza ou tontura

• Febre

Nessas situações, procure seu médico!

Texto: Carlos Augusto Cardim de Oliveira / Design: Ana Carla Bortoloni e Carolina Moura

Fonte: Ministério da Saúde

Conteúdo aprovado pelo responsável técnico-científico do Portal Unimed.


Média (3 Votos)

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em