Voltar

Tuberculose: previna-se

Tuberculose: previna-se

Entenda o que é a tuberculose, os modos de transmissão e, principalmente, quais cuidados ajudam a se proteger da doença

Tuberculose: previna-se

18 Junho 2018

 

 

A tuberculose é uma doença infecciosa causada pelo bacilo Koch, que afeta com mais frequência os pulmões (tuberculose pulmonar), mas pode infectar outros órgãos e sistemas, como gânglios, ossos, meninges e rins (tuberculose extrapulmonar). Em 2015, o Ministério da Saúde detectou no Brasil 70 mil novos casos e cerca de 4,5 mil mortes em decorrência da tuberculose.

 

 

SINAIS E SINTOMAS

Cerca de 10% das pessoas infectadas poderão desenvolver a forma ativa e contagiosa da doença. As demais irão conviver com a bactéria sem manifestar nenhum sintoma, mas com possibilidade de transmissão. Isso ocorre porque essas bactérias podem viver de modo inativo no corpo. Mas a queda na imunidade, que ocorre mais facilmente em pessoas desnutridas, crianças, pessoas com HIV ou idosos, pode tornar a bactéria ativa no organismo.

A bactéria pode se espalhar pelo ar quando pessoas infectadas tossem, falam, cospem ou espirram. No entanto, quando o órgão afetado não é o pulmão ou a laringe, não há transmissão. A doença tem cura e o tratamento é de no mínimo seis meses.

 

 

 

 

A principal maneira de prevenir a tuberculose é a vacina BCG, aplicada em crianças do nascimento aos cinco anos de idade. A vacina ajuda a proteger contra os casos mais graves da doença, mas não é totalmente eficaz na prevenção da tuberculose pulmonar.

Manter os ambientes ventilados e com entrada de luz solar, além de evitar o contato prolongado com pessoas com tuberculose são outras formas de prevenção.


Texto: Jailde Barreto / Design: Alex Mendes

Fonte: Jornal da Universidade de São Paulo (USP)/ Ministério da Saúde/ Médicos Sem Fronteiras

Conteúdo aprovado pelo responsável técnico-científico do Portal Unimed.


Média (1 Votar)

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em