Voltar

Vacina da gripe: guia completo para ficar protegido!

Vacina da gripe: guia completo para ficar protegido!

A campanha de vacinação contra a gripe já começou. Criamos um guia para tirar todas as dúvidas antes de se vacinar

Vacina da gripe: guia completo para ficar protegido!

31 Março 2020
Todos os anos, antes do início do inverno, o Ministério da Saúde promove sua campanha de vacinação contra a gripe. Em 2020, a campanha foi antecipada. A partir de 23 de março, idosos foram priorizados para receber a vacina, assim como profissionais de saúde. 
 
A campanha foi antecipada em quase um mês em função do avanço no número de casos de COVID-19 (esta doença ainda sem vacina ou tratamento específico). O objetivo é evitar a ocorrência de  surtos da gripe comum, (causada pelos vírus do tipo Influenza), ao mesmo tempo do surto do novo coronavirus. Assim, mantém-se a população com o sistema imune mais resistente e se facilita o diagnóstico em casos suspeitos da COVID-19. Aqui, você vai entender melhor os seguintes tópicos: 
 

Quem pode tomar a vacina da gripe

Vacina da gripe para bebês: qual a idade certa?

Reações à vacina da gripe

Existe algum tipo de contraindicação da vacina?

Qual é a relação da vacina da gripe com o novo coronavírus?

 

Quem pode tomar a vacina da gripe

uma mulher grávida se vacina
Todos devem tomar a vacina da gripe, contudo, existem grupos de risco que têm preferência para serem imunizados. Essa é uma doença que atinge o sistema respiratório, uma infecção aguda com grande potencial de transmissão. Portanto, para quem possui o sistema imunológico mais frágil, como pessoas com mais de 60 anos e crianças, a vacinação é essencial para que a doença não progrida para algo mais grave. 
 
Segundo o Ministério da Saúde, o vírus da gripe (também chamado de influenza), aumenta as taxas de hospitalização dos seguintes grupos de pessoas: 
  • Gestantes
  • Pessoas com mais de 60 anos
  • Crianças menores de seis anos
  • Pessoas com diabetes e hipertensão (doenças crônicas)
  • Pessoas com imunodeficiência
Além destes, para este ano, o Ministério incluiu na primeira fase da campanha os adultos a partir de 55 anos de idade, professores, trabalhadores da saúde e segurança e pessoas encarceradas. 
 
Ao todo, o governo disponibiliza 75 milhões de doses, por isso, é preciso selecionar os grupos mais vulneráveis a complicações de saúde. Em outras fases, outras categorias poderão ser incluídas. Pessoas que estão fora do grupo prioritário podem imunizar-se em clínicas privadas.
 
Uma pessoa pode contrair gripe várias vezes ao longo da vida. Por isso, a vacinação é indicada anualmente, para garantir a proteção a surtos sazonais que acontecem principalmente quando as temperaturas baixam. Por exemplo: a vacina de março de 2019 irá proteger o organismo até abril de 2020. 
 
Além da vacina da gripe, você pode reforçar a proteção vendo este vídeo do Ministério da Saúde que mostra medidas para se prevenir da influenza. 

Vacina da gripe para bebês: qual a idade certa?

mãe segura seu bebê para vacinar
Tanto a campanha nacional do Ministério da Saúde, como as instituições de saúde privada recomendam que a vacina da gripe seja administrada em crianças a partir dos seis meses de idade. 
 
Isso porque, até essa idade, o sistema imunológico do recém-nascido ainda está em fase de desenvolvimento e não existem estudos que comprovem a eficácia da proteção contra a influenza em um organismo tão jovem, que ainda irá sofrer muitas modificações. 
 
Já que os pequenos não podem se vacinar, é essencial que as pessoas ao seu redor estejam protegidas do vírus, para manter os pequenos protegidos também. Para isso, existem atitudes que podem ser tomadas pelos seus pais, são elas: 
a) vacinar-se ainda na gestação
b) manter os pequenos longe de grandes aglomerações
c) limpar bem as mãos antes de entrar em contato com a criança
d) garantir que todas as pessoas do seu círculo familiar estejam vacinadas contra a gripe 
 

Reações à vacina da gripe

idoso se vacinando com uma enfermeira
Muitas pessoas temem as reações adversas a uma vacina. Contudo, é importante salientar que a imunização não causa nenhum efeito colateral grave no organismo. Algumas horas após a aplicação, é normal haver irritabilidade na área onde a vacina foi aplicada ou ocorrer febre baixa durante o período. Isso significa que o corpo está assimilando a substância recebida. 
 
Além disso, existem muitos relatos de pessoas que acreditam ter contraído gripe logo após a vacinação. Entretanto, a dose da imunização leva em torno de 15 dias para surtir efeito no organismo. Nesse caso, a pessoa gripada pode ter contraído o vírus dentro desse período, no ambiente em que vive. 
 

Vacina da gripe tem contraindicação? 

rapaz se vacina com uma médica
Existem algumas contraindicações para a vacina contra a gripe, de acordo com dados do Ministério da Saúde: pessoas com doença febril aguda, pessoas com antecedentes de alergia grave a componentes do ovo, ao timerosal (Merthiolate®) e à Neomicina. Nos casos de doença febril aguda, passada esta fase, a vacina poderá ser administrada normalmente.
 
Qualquer hospital ou centro de saúde – seja público ou privado – está terminantemente proibido de administrar a dose em recém-nascidos. Mas, nas pessoas alérgicas que decidirem se imunizar contra o vírus da gripe, é recomendado entrar em contato telefônico com o serviço de saúde ou médico de confiança, para consultar sobre a necessidade de vacinação nesse momento e as orientações adequadas, caso seja necessário um atendimento de emergência por conta da alergia. 
 
Tomando a vacina da gripe, é possível proteger-se do vírus tipo A, B e C, existentes no Brasil atualmente. Todos podem realizar a imunização em qualquer época do ano, basta procurar um posto de saúde ou instituição privada. 
 

Qual é a relação da vacina da gripe com o novo coronavírus?

mulher se vacinando com um médico
A vacina contra a gripe não previne o novo coronavírus. A relação entre as duas doenças é indireta, mas espera-se que a vacinação contra a gripe ajude a reduzir as complicações da COVID-19, entenda como:
  • Ao proteger o organismo contra os vírus influenza, a pessoa fortalece seu sistema imunológico e saúde do sistema respiratório. Sabe-se até agora que pessoas debilitadas por outras doenças tendem a sofrer um impacto maior quando em contato com o coronavírus
  • A antecipação da vacina ajuda a acelerar o diagnóstico em casos suspeitos de coronavírus. Ao ser avisado que o paciente está vacinado, o profissional de saúde já pode descartar o vírus influenza na triagem e encaminhar para o exame de diagnóstico para coronavírus
  • Com mais pessoas vacinadas, a circulação dos vírus influenza é reduzida e o número de casos de gripe decai. Assim, espera-se desafogar hospitais e pronto-socorros, liberando leitos que normalmente são ocupados por casos de gripe para eventuais novos casos de COVID-19
Assim, vale lembrar que, além de proteção pessoal, a vacina é uma responsabilidade coletiva. E, mesmo vacinado, a recomendação de manter as mãos higienizadas continua.
 

Texto: Agência Babushka | Edição e Revisão: Unimed do Brasil

Fonte: Blog do Ministério da Saúde, Instituto Nacional de Saúde da Mulher, Ministério da Saúde

Revisão técnica: equipe médica da Unimed do Brasil


Média (6 Votos)

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em