Voltar

Verão limpo

Verão limpo

Poluição das praias mata animais marítimos, desequilibra o ecossistema e prejudica belas paisagens naturais

Verão limpo

21 Janeiro 2010

Lugar de lixo é na lixeira ou na sacolinha que você carrega na bolsa para depois colocá-la em local adequado. Tanto faz. Mas, definitivamente, não é na areia da praia ou na água do mar. O problema é que, apesar dessa informação já estar bastante difundida, ainda existe um grande número de pessoas que polui as praias. Quem sofre com isso? O meio ambiente, os animais e o próprio ser humano.

Os oceanos cobrem mais de 70% do planeta, abrigam milhares de seres vivos e são responsáveis por 50% do oxigênio que utilizamos. Além disso, também servem de via de transporte e são fontes de alimentação. Ou seja, motivos não faltam para manter as água limpas. No entanto, várias praias permanecem com restrições para banhos do mar por conta de poluição.

Companhias de limpeza urbana de sete cidades separaram e pesaram, a pedido do programa de televisão Fantástico, da TV Globo, o lixo recolhido em um quilômetro de praia. Salvador obteve o pior resultado: 7,5 toneladas de lixo em apenas um dia na praia de Piatã. Se já é difícil imaginar essa quantidade de lixo em apenas um dia, imagina quanto é poluído durante um mês inteiro no verão?

O meio ambiente precisa da colaboração e do respeito de todos. Confira algumas dicas que podem ajudar a preservar a saúde de nossos mares:

Ao caminhar pelas praias, recolha os plásticos que encontrar. Mesmo que o lixo não seja seu, não custa dar essa ajuda à natureza. Ao subir, a maré leva os objetos para a água, onde são confundidos com água-viva por outros animais, que morrem sufocados ao engolir sacolas e garrafas PET.
Participe de mutirões de limpeza na sua cidade. Se não encontrar nenhum evento agendado, ajude a organizar um. Não é difícil encontrar pessoas engajadas em questões ambientais que gostariam de colaborar mais com o recolhimento de lixo nas praias.
Fale sobre a importância de levar seu lixo embora ao sair da praia. Você pode estar consciente disso, mas se seus amigos e familiares não estão, não hesite em explicar as consequências de deixar objetos na areia.


Confira os resultados da ação encomendada pelo programa Fantástico:

¿ Salvador (Piatã): 7,5 toneladas
 
¿ Fortaleza (Futuro): 6 toneladas

¿ Guarujá (Pitangueiras): 5 toneladas

¿ Recife (Boa viagem): cerca de 2 toneladas

¿ Natal (Redinha): 1 tonelada

¿ Rio de Janeiro (Copacabana): 870 quilos

¿ Florianópolis (Canasvieiras): 125 quilos





Taise de Queiroz Bertoldi

Fonte: Site do programa Fantástico (matéria “Lixo e poluição tomam conta de praias no litoral brasileiro”, acessada em 20 de janeiro de 2010), site Planeta Sustentável, da editora Abril (matéria “Mar de plástico”, acessada em 20 de janeiro de 2010.

Conteúdo aprovado pelo responsável técnico-científico do Portal Unimed.


Média (0 Votos)

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em