Voltar

Unimed Cerrado orienta singulares para a implantação da atenção integral à saúde

Unimed Cerrado orienta singulares para a implantação da atenção integral à saúde

Unimed Cerrado orienta singulares para a implantação da atenção integral à saúde

Diminuir fonte Aumentar fonte

 

A Unimed Cerrado, que é pioneira entre as Federações Unimeds na criação de Núcleos de Desenvolvimento Humano na operadora e nas singulares federadas (leia mais), inova mais uma vez e põe em prática um trabalho tido como exemplar na implantação do processo de mudança do atual modelo de assistência à saúde. Segundo o médico Cloer Véscia Alves, do Comitê de Atenção Integral à Saúde da Unimed do Brasil, as Federações têm um papel multiplicador na mobilização dos dirigentes e orientação das singulares para a implantação da assistência integral à saúde e “a Unimed Cerrado tem sido um grande exemplo de liderança nesta área”.
De acordo com Cloer Véscia, o que a Unimed Cerrado vem fazendo é o ideal: primeiro reúne, motiva politicamente as federadas, reforça institucionalmente a proposta de mudança, promove a capacitação, prepara os diretores e colaboradores e, a partir das diretrizes e das informações que saem da Federação, as singulares iniciam os projetos de assistência integral à saúde em pequena escala e o processo vai se multiplicando entre as cooperativas.
Cloer Véscia, que esteve na sede da Federação nos dias 13 e 14 de maio, ministrando o curso “Atenção Integral a Saúde - Conceitos e Diretrizes para implantação no Sistema Unimed”, observou que a mudança do atual modelo assistencial é irreversível tanto na área pública quanto no setor privado e os países que já fizeram essa mudança figuram entre os melhores indicadores de saúde do mundo.
“É fazer ou fazer e as Unimeds que se engajarem e tiverem oportunidade de serem protagonistas farão essa transição com mais tranquilidade, com mais tempo para a implantação de um projeto estruturado”, disse, ressaltando que as cooperativas que postergarem a mudança a farão por necessidade ou por pressão da sinistralidade. “E, aí, talvez haja o atropelo de algumas etapas, o que não aconselhamos”, afirmou, enfatizando a importância deste trabalho de mobilização, conscientização, debate e capacitação iniciado pela Unimed Cerrado e voltado para as federadas.

 

Federadas participam do curso ministrado pela Unimed Cerrado e Fundação Unimed


O curso “Atenção Integral a Saúde - Conceitos e Diretrizes para implantação no Sistema Unimed” foi promovido pela Unimed Cerrado em parceria com a Fundação Unimed. O curso contou com a participação de dirigentes, médicos, enfermeiros e demais colaboradores de diversas áreas de Unimeds federadas, dentre elas as Unimeds Anápolis, Araguaína, Caldas Novas, Catalão, Morrinhos, Mineiros, Palmas, Planalto (Luziânia), Regional Sul Goiás (Itumbiara), Rio Verde e Vale do Corumbá (Ipameri), além da Unimed Cerrado.
Na abertura do curso, o presidente da Federação, José Abel Ximenes, voltou a destacar a importância da mudança do atual modelo hospitalocêntrico para um modelo de atenção integral à saúde. “Todos os países desenvolvidos fizeram essa mudança e temos que nos preparar para ela”, afirmou, agradecendo a participação das singulares no curso e convidando todas para participarem também do curso de Especialização em Atenção Integral à Saúde, que terá início no segundo semestre e será ministrado pela Unimed Cerrado. O curso terá a chancela da Universidade Federal de Goiás (UFG).


Rosane Rodrigues da Cunha