Voltar

Dia 26 de junho, Dia Nacional do Diabetes

Dia 26 de junho, Dia Nacional do Diabetes

Dia 26 de junho, Dia Nacional do Diabetes


No dia 26 de junho se “comemora” o Dia Nacional do Diabetes, em parceria do Ministério da Saúde com a Organização Mundial da Saúde (OMS), devido ao aumento do interesse em torno do diabetes no mundo e o crescente de sua incidência.

O Diabetes tipo 1 (DM1) é um distúrbio caracterizado pela destruição das células produtoras de insulina, através de mecanismos imunológicos (anticorpos produzidos especificamente contra o pâncreas do portador). Quando isso acontece, é preciso aplicar insulina, ou seja, repor o hormônio, para viver e se manter saudável. Nesse caso as pessoas precisam de injeções diárias para regularizar o metabolismo do açúcar.

O Diabetes do tipo 2 (DM2) possui um fator hereditário maior do que no tipo 1. Além disso, há uma grande relação com a obesidade e o sedentarismo. Estima-se que 60% a 90% dos portadores da doença sejam obesos. A incidência é maior após os 40 anos. Uma de suas peculiaridades é que o problema inicial não está no pâncreas, que continua produzindo insulina, e sim na periferia, onde esse hormônio não consegue realizar a sua função de realizar o transporte da glicose do sangue para o interior das células do corpo. Caracteriza-se assim a “resistência a insulina”.

As altas taxas de glicose acumuladas no sangue, com o passar do tempo, podem afetar os olhos, rins, nervos ou coração, sendo das mais importantes causas de cegueira, insuficiência renal, amputações e doenças cardiovasculares, particularmente infarto e acidente vascular cerebral.

Em décadas recentes, o avanço da medicina e a eficácia de novas drogas foram de grande importância no combate de fatores de risco cardiovasculares. Ainda assim, a prevalência de Obesidade e Diabetes Mellitus é maior a cada nova estatística.

É fato que, no contexto do desenvolvimento econômico mundial, o balanço de energia vem claramente tendendo para o excesso de ingestão calórica e para a diminuição do gasto de energia. Este balanço energético positivo tem resultado numa explosão epidêmica da obesidade e suas patologias associadas.

O tecido adiposo, antes visto como um depósito de triglicérides metabolicamente sem função agora é considerado um órgão endócrino complexo e altamente ativo, secretor de substâncias chamadas “adipocinas”, envolvidas diretamente no mecanismo da descrita “resistência a insulina” e conseqüente Diabetes tipo 2.

Assim tanto para prevenção quanto para o tratamento do Diabetes, são necessárias e fundamentais as mudanças no estilo de vida.

Ter uma vida saudável é um desafio para todos nós. O desenvolvimento dos recursos tecnológicos geralmente implica em tornar o indivíduo cada vez mais sedentário, assim como a necessidade da praticidade no preparo das refeições, devido a falta de tempo, acarreta hábitos alimentares também pouco saudáveis.

Esse conjunto de fatores, que deveriam tornar nossas vidas mais produtivas, acaba por comprometer a produtividade em função da maior incidência de doenças como o Diabetes.

Quebrar esse círculo vicioso, através de alimentação balanceada e atividade física passa a ser um verdadeiro desafio para que futuramente possamos aí sim “comemorar” o Dia Nacional de PREVENÇÃO do Diabetes.

Ricardo Meni Gonçalves
Especialista pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia - SBEM
Médico cooperado Unimed Itajubá