Voltar

Compreendendo a Depressão

Compreendendo a Depressão

Compreendendo a Depressão

22 Janeiro 2020

 

A depressão apresenta um conjunto específico de sintomas e comportamentos que a diferenciam de outras psicopatologias. insônia ou sono demais, apatia, falta ou aumento de apetite, falta de concentração, desânimo são algumas características deste transtorno. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, atualmente a depressão afeta cerca de cento e vinte e um milhões de pessoas no mundo todo, sendo considerada a primeira causa de incapacidade entre os problemas de saúde mental. Segundo ainda a OMS, em 2030 a depressão será a primeira causa de incapacitação, inclusive à frente das doenças cardiovasculares, tornando-se assim um grande problema de saúde pública, chegando aos níveis de epidemia.

O diagnóstico da depressão é particularmente importante, em vista da complicação letal que é quase especificamente próprio desta síndrome: o suicídio. A dificuldade do paciente em lidar com seus sentimentos cobre uma vasta gama de atitudes investidas de emoção. A ansiedade é um traço comum em alguns transtornos depressivos, pois seria a resposta psicológica ao perigo e é notada com freqüência quando o indivíduo sente existir uma constante ameaça ao seu bem-estar.

Acima de tudo os pacientes sentem-se constrangidos para falar, exceto no contexto da psicoterapia, onde abrir-se é algo que alivia o paciente de suprimir seus sentimentos. Os psicólogos costumam descrever pessoas deprimidas como possuidoras de um superego muito forte, o sentimento de culpa sempre está presente na vida dessas pessoas, criando um considerável desconforto interior.

Quanto ao tratamento psicoterapêutico da depressão uma das técnicas utilizadas pode ser a Psicoterapia Breve de Orientação Psicanalítica, uma vez que sua indicação é também para reações vivenciais anormais como depressões leves e moderadas. A depressão diz respeito tanto a um sintoma quanto a um grupo de enfermidades que possuem determinados traços em comum. Como sintoma o deprimido experimenta sentimentos de baixa-estima, segurança ameaçada, desamparo e impotência. Os indivíduos que se encontram num estado de desespero provocado por uma grande depressão terão inevitavelmente uma visão distorcida de si próprias e apresentam uma perspectiva sombria da vida.

Cabe aqui uma pequena nota sobre as possíveis causas desencadeantes dos transtornos depressivos. Certamente fatores biológicos, genéticos e neuroquímicos tem um importante peso nos diversos quadros depressivos. Do ponto de vista psicológico, os transtornos depressivos tem uma relação fundamental com as experiências de perda significativas: de uma pessoa muito querida, de um emprego, de um local de moradia ou algo puramente simbólico. O indivíduo com depressão preocupa-se consigo mesmo e com seu estado, atormentando-se com seu infortúnio e com o efeito causado em sua vida. Rumina sobre seu passado e cobre-se de remorso, assim como imagina soluções mágicas para seus problemas atuais, ainda que tenha pouca esperança de semelhantes soluções virem a acontecer; sentem-se sozinhos, impotentes e antipáticos. O desânimo e o peso que experimentam em si mesmos logo se transferem para as outras pessoas que com eles convivem, a tal ponto que elas tendem a se afastar do paciente. É como se a pessoa deprimida estivesse envolta numa neblina espessa, causando a impressão de que ninguém pode chegar até ela. As pessoas que se encontram do lado de fora desta neblina podem estar fazendo todo o

esforço para contatar com o paciente, todavia parece haver uma parede invisível que as impedem de entrar em contato com o sofredor.

O importante é saber que a Depressão tem tratamento, e o quanto antes for tratada maiores são as possibilidades de cura, uma vez que quando não tratada pode evoluir para quadros mais sérios e até doenças mentais mais graves. O apoio e incentivo da família ou de pessoas próximas é importante na busca de ajuda, pois muitas vezes o depressivo não se sente capacitado ou motivado para esta procura.

Artigo elaborado pelas psicólogas Luciane Spier Zilio, Silvia Miazi Pereira e Zamir Doile Macedo.