Voltar

Apoio que salva vidas

Apoio que salva vidas

Centro de Valorização da Vida dispõe de linha gratuita de prevenção do suicídio

Apoio que salva vidas

Centro de Valorização da Vida dispõe de linha gratuita de prevenção do suicídio

10 Janeiro 2019

Um trabalho voluntário que salva vidas. É ouvindo e dando apoio emocional de maneira gratuita, que o Centro de Valorização da Vida, em Maceió desde setembro de 2017, evita um ato extremo: o suicídio. Fundado em São Paulo, em 1962, o CVV é uma associação civil sem fins lucrativos, filantrópica, reconhecida como de Utilidade Pública Federal, desde 1973.

O CVV presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo e anonimato. A instituição é associada ao Befrienders Worldwide, que reúne entidades congêneres de todo o mundo, e participou do grupo que elaborou a Política Nacional de Prevenção do Suicídio, do Ministério da Saúde, com quem mantém, desde 2015, um termo de cooperação para a implantação de uma linha gratuita nacional de prevenção do suicídio.

A linha 188 começou a funcionar no Rio Grande do Sul e, em setembro de 2017, iniciou sua expansão para todo o Brasil, concluída em junho passado, com a integração de todos os estados.

Em Alagoas, o atendimento é feito por telefone através da linha 188, correspondência, chat, voip ou e-mail. O Centro de Valorização da Vida instalado no Estado conta com o apoio da Unimed Maceió.

Ajuda em números

O Centro de Valorização da Vida realiza mais de 2 milhões de atendimentos anuais e conta com 2,4 mil voluntários em todo o país. O voluntário do CVV doa tempo e atenção para quem precisa conversar e não tem conseguido fazer isso com as pessoas próximas. Para ser voluntário, basta ter mais de 18 anos, pelo menos quatro horas disponíveis por semana e vontade de ajudar pessoas. Os interessados participam de um curso preparatório gratuito.

Saiba mais

O suicídio é considerado pelo Ministério da Saúde como um problema de saúde pública, tirando a vida de uma pessoa por hora no Brasil, mesmo período no qual outras três tentaram se matar sem sucesso. Trata-se de um problema que se pode prevenir na grande maioria das vezes e esse é um dos maiores esforços do CVV. O estudo e a discussão do tema suicídio é uma das formas mais eficientes de se promover a prevenção, que só é possível quando a população, os profissionais da saúde, os jornalistas e governantes têm informações suficientes para conduzir as medidas adequadas e ao seu alcance nessa frente.

O CVV assumiu como tarefa, desde a sua criação, estimular essa discussão, ação esta que passou a merecer mais empenho nesses últimos anos.