Voltar

Enfermeira do Hospital Unimed surpreende paciente grávida com pintura gestacional

Enfermeira do Hospital Unimed surpreende paciente grávida com pintura gestacional

Com seis meses de gestação, Pollyanna Simião passou 28 dias internada devido à possibilidade de ter parto prematuro

Enfermeira do Hospital Unimed surpreende paciente grávida com pintura gestacional

Com seis meses de gestação, Pollyanna Simião passou 28 dias internada devido à possibilidade de ter parto prematuro

3 Novembro 2021

Matheus Tenório 
Assessor de imprensa 

Não precisa ser um expert em gravidez para saber que o desejo de uma gestante é quase que uma ordem, ainda mais quando a vontade dela é um sonho de muitas mamães e não faz mal à saúde.

E foi seguindo a tradição dos desejos que a equipe da obstetrícia do Hospital Unimed Maceió se mobilizou para realizar o sonho da arquiteta Pollyanna Simião Gomes Ferraz, de 34 anos, de ter uma “pintura gestacional” - um desenho feito à mão na barriga de gestantes. 

Pollyanna está grávida de seis meses do seu primeiro filho, o Gael, e ficou internada na maternidade do hospital por 28 dias por causa de complicações durante a gestação e pela possibilidade de ter um parto prematuro.

A responsável por tornar esse sonho em realidade foi a enfermeira Rayra Mendes, de 28 anos, que se empenhou para organizar a surpresa e garantir que tudo acontecesse conforme o planejado, antes mesmo da paciente ter alta médica na última sexta-feira (29).

“Eu fiquei com o coração apertado por essa possibilidade de o bebê nascer antes da hora, porque ele é muito esperado pela família dela. Nas nossas conversas, durante as visitas, ela compartilhou comigo que tinha esse desejo e eu fiquei super feliz em poder fazer esse momento. Assim que ela falou do desejo, eu informei a minha coordenadora e pedi autorização para fazer”, disse Rayra.

Ainda de acordo com ela, tudo foi previamente alinhado com o Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) e com uma das médicas que está acompanhando a arquiteta, a Dra. Robertta Lins.

A arte, desenhada pela própria enfermeira, foi uma escolha da paciente, que fez questão de explicar o motivo da preferência para a colaboradora.

“Ela escolheu um desenho e me mandou. Ela queria que tivesse um ursinho porque a decoração do Gael é com ursinho polar. Foi só felicidade, muitos sorrisos, e a gente fica extremamente grata a Deus em poder trazer essa felicidade para a família e para ela”, ressaltou a enfermeira.

Esse momento, que é único para cada gestante, chegou a ser dúvida para Pollyanna. Ela viu todos os seus planejamentos serem desfeitos, após ser internada para realizar um procedimento cirúrgico para evitar o parto prematuro e não ter previsão de alta.

““Ela [a enfermeira] soube que o meu sonho era ter um parto humanizado. Eu tinha me planejado para começar todos os preparativos do parto em casa, para finalizar no hospital. Então, eu tinha contratado um grupo de enfermeiras obstétricas para fazer todo o acompanhamento. Aí, como eu disse para ela que, devido ao meu problema, eu não sabia se eu poderia ter esse parto como eu queria, ela decidiu me dar esse presente”, contou.

A ação da profissional e de toda a equipe da Unimed Maceió rendeu muitos elogios e foi interpretada como um carinho pela própria gestante.

“A enfermeira Rayra caprichou. Ela é perfeccionista e fez com muito carinho. A equipe da Unimed está sendo maravilhosa e sendo um diferencial na minha luta para ter o Gael".

Para Diogo Ferraz, esposo da paciente, todo esse cuidado foi fundamental. “Em geral, estou muito satisfeito com o atendimento e todo o cuidado que a Unimed vem tendo nesse momento delicado. E a ação da Rayra, em dedicar parte do tempo dela para fazer uma pintura do nosso bebê na barriga da minha esposa, foi de uma humanidade e dedicação incrível. Estamos nos sentindo abraçados pela equipe, além de passarem muita segurança e tranquilidade”, destacou.

INTERNAÇÃO E ALTA MÉDICA

Pollyanna explicou que havia procurado ajuda médica uns dias antes da internação, por ter apresentado sangramento. Mesmo depois de ter feito tratamento, voltou a ter o mesmo sintoma, somado às contrações e cólicas, o que a fez voltar ao hospital.

“A Dra. Evanir detectou que eu estava entrando em trabalho de parto e decidiu intervir, para eu não ter meu filho prematuramente, e fazer essa cirurgia, que é uma cerclagem, para tentar mantê-lo um pouco mais, até o final da minha gestação. Toda a equipe médica me deu bastante suporte e ficou em contato com a minha médica, a Dra. Roberta”, relatou.

Ela contou ainda que também apresentou diminuição de líquido amniótico, um fluido natural que é fundamental para a proteção e o desenvolvimento do bebê. Ao longo dos dias de internação, os médicos trabalharam para estabilizar a situação.

No final, tudo deu certo. Depois de quase um mês em observação na maternidade do Hospital Unimed, Pollyanna recebeu alta. “Estou em casa. Ainda de repouso. Espero voltar só na hora de ter o Gael”, ressaltou.