Voltar

Unimed Pato Branco inicia trabalhos para a certificação da RN 452

Unimed Pato Branco inicia trabalhos para a certificação da RN 452

Unimed Pato Branco inicia trabalhos para a certificação da RN 452

30 Julho 2020

Em maio deste ano, a Unimed Pato Branco encerrou o ciclo de auditorias e manutenção da certificação da Resolução Normativa - RN 277 e agora se prepara para uma nova etapa, que será a certificação da RN 452, normativa publicada em 9 de março de 2020, pela Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS. 
A certificação da RN 277, da Unimed Pato Branco, tem validade até 2 de agosto de 2021. Para obter a certificação da RN 452, a Cooperativa deve ter os processos relacionados a nova normativa implementados há pelo menos 12 meses, para então solicitar a auditoria de certificação.
Diante disso, o Grupo de Melhoria da Qualidade - GPMQ já iniciou os trabalhos, que incluiu a análise de todos os requisitos na nova RN, e a separação por processos, identificando inicialmente os requisitos que possuem correlação com a RN 277, e quais são requisitos novos. Em breve, o Grupo irá repassar os requisitos aos setores e colaboradores responsáveis, que deverão iniciar a organização dos processos, de forma a atender as novas exigências da 452. 


Impactos da RN 452
De acordo com a analista da qualidade da Unimed Pato Branco, Natalia Gatto, a atualização da RN 452 tem como objetivo qualificar a prestação de serviço, reduzir custo, melhorar os processos e aumentar ainda mais o nível de excelência das operadoras. Por isso, o Programa, além de trazer a melhoria dos processos, aborda itens para elevar a cultura organizacional, o que permite uma maior interação entre processos e pessoas, impactando de forma positiva nos padrões de trabalho e na melhoria contínua da operadora de saúde. 
Um dos aspectos mais relevantes da revisão do Programa de Acreditação está relacionado aos itens avaliativos: Essencial, Complementar e Excelência. Sendo que a operadora deve atender 100% dos itens essenciais e atender aos itens complementares e de excelência de forma a totalizar no mínimo 70 pontos em cada dimensão. 
Desta forma, se um item essencial não for atendido, a operadora irá pontuar zero em todo o requisito. Já os itens complementares são boas práticas recomendáveis e, se cumpridos, elevam a pontuação do requisito. Os itens de excelência são práticas pouco disseminadas e de maior dificuldade de consecução. Porém, o cumprimento de 80% dos itens de excelência é uma das exigências para a operadora conquistar a Acreditação Nível I - Ouro.


Mudanças da RN 452 em relação à RN 277
Uma mudança relevante refere-se à metodologia de pontuação dos requisitos. Na RN 277, havia a possibilidade de pontuar os itens avaliativos de forma parcial, ou seja, quando não atendia ao tempo de prática (12 meses), pontuava 50% do item. Neste caso havia a possibilidade de pontuar 5 pontos (metade da pontuação total do item). 
Na nova versão da RN 452, só será possível pontuar "como conforme" ou "não conforme", não havendo mais a possibilidade de pontuar parcialmente. Neste caso, se a operadora não evidenciar o atendimento completo ao item, vai pontuar como "não conforme", ou seja, vai zerar o requisito.
O item terá duas possibilidades de avaliação: conforme = 1 ponto e não conforme = 0. Será considerado “conforme” o item que cumprir todo o escopo (adequação e disseminação) e tiver o tempo de implantação superior a 12 meses.
Outra mudança importante é a definição clara dos pré-requisitos para a candidatura ao Programa de Acreditação de Operadoras, os quais podem ser conferidos na tabela.


Diferenças entre as dimensões da RN 277 e a RN 452
Na RN 277 haviam 7 dimensões e 147 itens avaliativos. Na nova versão, a RN 452 possui 4 dimensões, subdivididas em 21 requisitos e 168 itens avaliativos. Os itens avaliativos estão classificados em 75 itens essenciais, 49 complementares e 44 de excelência.