Voltar

Programa antitabagismo finaliza mais uma turma

Programa antitabagismo finaliza mais uma turma

Programa antitabagismo finaliza mais uma turma

22 Outubro 2021

A Unimed Regional Sul Goiás, através do Núcleo de Atenção à Saúde (NAS), finalizou mais uma turma do Programa Antitabagismo.

O Programa, que acontece há mais de 06 anos, tem o intuito de auxiliar os beneficiários da Unimed RSG que desejam parar de fumar. Para isso, o cronograma conta com palestras instrutivas e o apoio de uma equipe multidisciplinar com profissionais especializados.

Ao longo do curso, que teve início em julho, os participantes receberam diversas orientações, como: os cuidados com a alimentação, a importância da mudança de hábitos e a conscientização sobre o fumo e tabaco.

Considerado um fator de risco importante para as doenças crônicas não transmissíveis, o tabagismo está relacionado ao desenvolvimento de aproximadamente 50 doenças, entre elas vários tipos de câncer, doenças do aparelho respiratório, como enfisema pulmonar, e doenças cardiovasculares, como infarto agudo do miocárdio, hipertensão arterial e acidente vascular cerebral.

A Organização Mundial da Saúde aponta que o tabaco mata mais de 8 milhões de pessoas por ano. Mais de 7 milhões dessas mortes resultam do uso direto desse produto, enquanto cerca de 1,2 milhão é o resultado de não-fumantes expostos ao fumo passivo.

Tabagismo no Brasil

No Brasil, 443 pessoas morrem a cada dia por causa do tabagismo. R$125.148 bilhões são os custos dos danos produzidos pelo cigarro no sistema de saúde e na economia e 161.853 mortes anuais poderiam ser evitadas.

Benefícios para quem deixa de consumir tabaco e derivados

Após 20 minutos, a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal.

Após 2 horas, não há mais nicotina circulando no sangue.

Após 8 horas, o nível de oxigênio no sangue se normaliza.

Após 12 a 24 horas, os pulmões já funcionam melhor.

Após 2 dias, o olfato já percebe melhor os cheiros, e o paladar já degusta melhor a comida.

Após 3 semanas, a respiração se torna mais fácil, e a circulação melhora.

Após 1 ano, o risco de morte por infarto do miocárdio é reduzido à metade.

Após 10 anos, o risco de sofrer infarto será igual ao das pessoas que nunca fumaram.

Apesar de ser um hábito difícil de abandonar, com ajuda especializada e força de vontade é possível levar uma vida mais saudável e com menos riscos para sua saúde.

Em nossas redes sociais você acompanha os programas de prevenção e atenção à saúde que oferecemos aos beneficiários e à comunidade, fica sabendo as datas de inscrição e todas as informações.