Voltar

Hospital Unimed Piracicaba inicia procedimento inédito na unidade do coração

Hospital Unimed Piracicaba inicia procedimento inédito na unidade do coração

Hospital Unimed Piracicaba inicia procedimento inédito na unidade do coração

14 Setembro 2020

O setor de Hemodinâmica da Unidade do Coração do Hospital Unimed Piracicaba realizou o primeiro procedimento percutâneo de fechamento de Comunicação Interventricular (CIV) — tipo de cardiopatia congênita (imperfeição no coração desde o nascimento) — em uma paciente de 49 anos. A cirurgia não invasiva, que durou aproximadamente duas horas e meia, mobilizou o corpo clínico, além da equipe de enfermagem do complexo hospitalar.

De acordo com o cardiologista e coordenador do serviço de Hemodinâmica, Daniel Lemos, a Comunicação Interventricular (CIV) caracteriza-se por uma abertura ou orifício na parede (septo) que divide os ventrículos (câmaras que bombeiam o sangue) direito e esquerdo. Assim, permite a passagem do sangue de uma câmara a outra, quando este fluxo não deveria existir.

“As CIVs são geradas durante a formação do coração. Durante as primeiras semanas de gestação, o coração se desenvolve a partir de um grande tubo, dividindo-se em seções que vão formar as câmaras e os septos. Se existe algum problema neste processo, podem se formar as CIVs. Em alguns casos, a tendência a formar a CIV pode ser por uma síndrome genética que causa excesso ou falta de partes nos cromossomos”, disse Lemos.

Em situações normais, o sangue no lado esquerdo do coração é bombeado para o corpo e o do lado direito para os pulmões. Quando existe uma comunicação entre os dois lados do coração, uma grande quantidade de sangue passa do lado esquerdo, que tem maior pressão para o lado direito. Este sangue, já oxigenado, vai novamente para os pulmões e volta para o lado esquerdo. Assim, vai sobrecarregando o trabalho do coração a cada batimento.

“No coração, isto ocasiona um aumento de tamanho, especialmente do átrio e do ventrículo esquerdo. Nos pulmões, esta sobrecarga de sangue aumenta a pressão, o que pode lesionar permanentemente as paredes das artérias pulmonares com o passar do tempo”, completou Lemos.

Para o presidente da Instituição, Carlos Joussef, que também esteve presente na primeira intervenção de CIV, proporcionar novos serviços aos mais de 180 mil beneficiários da cidade e região é a missão da Cooperativa. “E avançaremos cada vez mais, além de manter os investimentos em tecnologia, qualidade e qualificação do corpo clínico. Afinal, queremos sempre oferecer o que existe de mais inovador na medicina”, finalizou o dirigente.

 

Texto: Juliano Fantazia/Unimed Piracicaba


Média (0 Votos)

COMPARTILHAR:


 
 
 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em