Voltar

Unimed reforça estruturas para atender à demanda relacionada à COVID-19

Unimed reforça estruturas para atender à demanda relacionada à COVID-19

Remanejamento de leitos para pacientes com o novo coronavírus, estruturação de hospitais de campanha e reforço no número de profissionais de saúde são algumas das iniciativas do Sistema Unimed no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

Unimed reforça estruturas para atender à demanda relacionada à COVID-19

Remanejamento de leitos para pacientes com o novo coronavírus, estruturação de hospitais de campanha e reforço no número de profissionais de saúde são algumas das iniciativas do Sistema Unimed no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

16 Junho 2020

Uma das grandes preocupações da sociedade com relação à pandemia do novo coronavírus é a infraestrutura hospitalar necessária para atender os pacientes que contraírem a COVID-19. Esse assunto tem motivado as cooperativas Unimed a reforçarem suas estruturas e os protocolos de trabalho na linha de frente para assegurar a segurança de profissionais e beneficiários.

De acordo com levantamento recente, feito em 12 de junho pela Unimed do Brasil, são 10.568 leitos nos hospitais próprios, sendo 8.294 comuns e 2.274 de terapia intensiva. A rede credenciada conta com mais de 151 mil leitos.

Várias UTIs foram convertidas para tratamento exclusivo de pacientes com COVID-19. Além disso, leitos de UTI semi intensiva, e mesmo leitos normais, foram adaptados para unidades de terapia intensiva. Com isso, o Sistema já criou cerca de 439 novos leitos. Se levarmos em consideração somente os de UTI, foram 391 novas posições, que correspondem a um aumento de 20,57%.

A Unimed do Brasil está acompanhando a evolução dos casos notificados pelas operadoras e disponibilizou uma Central de Leitos às cooperativas, ferramenta gratuita que realiza uma busca ativa de leitos nos hospitais próprios mais próximos.

Algumas cooperativas têm estruturado hospitais de campanha e promovido outras iniciativas focadas em serviços próprios, como remanejamento e ampliação de leitos. É o caso de Araruama (RJ),  Belo Horizonte (MG), Fortaleza (CE), Limeira (SP), Natal (RN) e Teresina (PI), e o aumento temporário de vagas em Campo Mourão (PR),  Chapecó (SC), Jundiaí (SP), Maceió (AL), Ourinhos (SP), Petrópolis (RJ), Recife (PE), Rio de Janeiro, Sobral (CE)  e Volta Redonda (RJ). Somente esses exemplos já mostram um incremento de suas capacidades em 102 leitos de UTI e 262 comuns, além de remanejamentos dos existentes.

Alguns exemplos:

A Unimed Botucatu (SP) inaugurou seu segundo hospital, permitindo à Singular planejar um atendimento diferenciado para os casos de síndrome gripal. Inicialmente, o hospital terá 70 leitos de internação e 10 leitos de UTI. A Unimed Brusque (SC) abriu um Ambulatório Especial para atendimento aos casos de COVID-19 em sua sede, atendendo mais de 100 pessoas até o momento, enquanto a Unimed Cabo Frio (RJ) criou tendas de triagem em frente a um hospital credenciado.

A Singular de Chapecó (SC) reabriu um antigo pronto atendimento, que estava desativado, para receber exclusivamente os pacientes com sintomas do novo coronavírus. Algo parecido fez a Unimed Dourados (MS), que transformou seu ambulatório próprio em um centro de atendimento.

A Unimed Porto Velho (RO) disponibilizou um pronto-socorro direcionado apenas para o atendimento de pacientes com quadro de síndrome gripal, com 14 leitos, e destinou sua clínica cirúrgica e UTI anexa para internação de suspeitos ou confirmados com o novo coronavírus, com 15 leitos.

Na questão de reforço dos profissionais de saúde na linha de frente, a Unimed-Rio, por exemplo, contratou 62 médicos, 59 enfermeiros, 150 técnicos de enfermagem e 134 colaboradores administrativos para atividades operacionais nas unidades assistenciais.

O Sistema Unimed tem envidado esforços em outras frentes para conter o avanço da pandemia e para aprimorar o atendimento em suas unidades. Dentre essas medidas, está a aquisição de equipamentos hospitalares, testes da doença, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), além do investimento em Telemedicina, muito importante nesse momento de isolamento social.

A Unimed Nordeste-RS também ampliou a quantidade de respiradores, totalizando 52 unidades.

Outra iniciativa da Unimed Nordeste-RS se destaca: o setor de costura do seu complexo Hospitalar Unimed tem confeccionado máscaras para uso interno de seus profissionais e para doação. O Serviço de Atenção Domiciliar Unimed da cooperativa, para clientes em tratamento a domicílio, está distribuindo as peças aos cuidadores e familiares.

A equipe da Unimed Campo Grande (MS) ministrou oficinas práticas e teóricas com ênfase em condutas clínicas e epidemiológicas relacionadas ao atendimento de pacientes suspeitos e confirmados com o novo coronavírus e também relacionados à segurança dos trabalhadores de saúde. Também criou um Canal de Atendimento exclusivo, com médicos otorrinolaringologistas, para atender clientes com rinite, sinusite e outras infecções de ouvido e garganta, além de ter suspendido cirurgias eletivas, mantendo apenas as mais graves e aquelas em pacientes oncológicos.

 

*Esses são alguns exemplos de iniciativas de Unimeds por todo o Brasil. Existem muitas outras ações sendo realizadas por nossas 345 cooperativas em todo o território nacional.


Média (0 Votos)

COMPARTILHAR:


 
 
 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em